Publicidade

Notícias de saúde

Viagra Pode Ajudar Homens Submetidos a Cirurgia de Próstata

NOVA YORK (Reuters Health) - Os homens submetidos à cirurgia para remoção da próstata que não recuperaram a função erétil podem se beneficiar do Viagra, informaram pesquisadores.

A droga parece não ajudar por um período de até cerca de nove meses depois da cirurgia. Depois, pode restaurar a ereção em homens submetidos à cirurgia que preserva as terminações nervosas, com mais sucesso em jovens do que em idosos. O trabalho foi publicado na edição de outubro do Urology.

"Em um teste anterior à aprovação pela Food and Drug Administration (FDA), o sildenafil (Viagra) restaurou adequadamente a função erétil em cerca de 40 por cento dos homens submetidos à prostatectomia radical, com uma taxa de resposta estimada de 80 por cento nos pacientes submetidos ao procedimento que preserva os nervos", informou a equipe de Gregory P. Zagaja, do Centro Médico da Universidade de Chicago, em Illinois.

Em um estudo com 170 pacientes com câncer de próstata, os especialistas verificaram que 29 por cento pareceram se beneficiar com a droga quando usada um ano após a cirurgia. A taxa de sucesso variou conforme a idade do paciente e o tipo de cirurgia.

Um ano depois da cirurgia, 80 por cento dos homens com menos de 55 anos de idade, que tiveram os dois feixes nervosos preservados, foram capazes de ter uma ereção depois de tomar Viagra, enquanto 45 por cento dos homens entre 56 e 65 anos de idade e 33 por cento dos homens com mais de 66 anos informaram ter tido ereção.

Entre os que tiveram apenas um dos feixes nervosos preservado, apenas 40 por cento dos homens com menos de 55 anos relataram ter ereções, enquanto nenhum dos pacientes com mais de 55 anos teve ereção. Nenhum dos homens teve sucesso com Viagra quando os dois feixes de nervos foram removidos.

Os homens submetidos a uma prostatectomia radical, cirurgia em que a próstata é removida parcial ou totalmente, geralmente foram incapazes de ter uma ereção se os nervos foram danificados. O pênis precisa de fluxo sanguíneo adequado para ficar ereto e os danos ao nervo impedem o fluxo normal de sangue.

O Viagra ajuda a ampliar a resposta à estimulação dos nervos pélvicos, mas se os nervos são removidos a droga não tem como agir.

De acordo com os especialistas, como o Viagra se mostrou ineficaz durante vários meses depois da cirurgia, outros tipos de tratamento como a alprostadil -- droga que promove ereção depois de injetada no pênis ou usada em forma de supositório -- podem ser mais indicados nesse período.

O trabalho indicou que alguns pacientes usaram a droga e recuperaram a capacidade de ter ereções naturais relativamente cedo, logo depois da cirurgia.

Sinopse preparada por Reuters Health

Copyright © 2000 Reuters Limited. All rights reserved. Republication or redistribution of Reuters Limited content, including by framing or similar means, is expressly prohibited without the prior written consent of Reuters Limited. Reuters Limited

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: