Publicidade

Notícias de saúde

Alterações cerebrais podem continuar por meses após traumas

12 de dezembro de 2012 (Bibliomed). Alterações cerebrais podem persistir por meses em crianças e adolescentes que sofreram uma lesão cerebral traumática leve, também chamada de concussão, afirmam pesquisadores da Universidade do Novo México, nos Estados Unidos.

Publicado no The Journal of Neuroscience, o estudo envolveu crianças e adolescentes com idades entre dez e 17 anos que sofreram ou não concussões, e mostrou alterações estruturais na matéria branca do cérebro dessas duas semanas após a lesão.

Depois de três meses, outra avaliação mostrou que ainda existiam alterações no cérebro dos jovens, apesar do desaparecimento da lesão e dos sintomas relacionados a ela.
Segundo Andrew Mayer, coordenador do estudo, essas descobertas podem ter implicações importantes sobre o tempo em que o jovem deve ficar afastado de atividades físicas que possam resultar em novas concussões.

Os pesquisadores realizaram testes cognitivos e utilizaram uma técnica avançada de imagem conhecida como “Imageamento por Tensor de Difusão” (DIT) para examinar o cérebro de 15 jovens que sofreram lesões e 15 não afetados por acidentes dentro dos 21 primeiros dias após a lesão e depois de três meses.

Os testes iniciais mostraram que as crianças com lesões cerebrais apresentaram déficits cognitivos sutis e mudanças na substância branca em comparação com o grupo controle. Mesmo não se queixando de sintomas relacionados aos traumas, o exame DIT revelou que as mudanças estruturais nos cérebros das crianças que sofreram lesões permaneceram mesmo após três meses.

Fonte: UPI, 10 de dezembro de 2012

Copyright © 2012 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: