Publicidade

Artigos de saúde

Correr descalço pode ser uma boa opção?

© Equipe Editorial Bibliomed

Neste Artigo:

- A técnica de correr descalço
- Correr descalço ou calçado?
- Referência

Uma nova modalidade de corrida, que já é tendência no exterior, está se tornando popular no país. A corrida com os pés descalços reúne entre adeptos atletas que preferem deixar o tênis de lado para ter o contato direto com o chão. Você conhece ou já ouviu falar dessa modalidade de corrida? Acha que pode ser uma boa opção para praticar? Neste artigo Boa Saúde apresenta o tema e esclarece algumas dúvidas comuns.

A técnica de correr descalço

A modalidade se desenvolveu a partir da teoria de que o corpo tem um sistema próprio de amortecimento, o que dispensaria o uso de sapatos especializados. No decorrer da evolução, os humanos se adaptaram para correr longas distâncias sem qualquer tipo de calçado. Até os anos 80, quando os tênis de corrida surgiram, era comum que corredores não usassem nada ou apenas sandálias simples de couro nos pés.

Genaro Kummer, de 26 anos, é adepto da técnica desde 2010. Ele praticava ciclismo de Mountain Bike, e começou a procurar uma prática esportiva que não envolvesse tantos equipamentos. Apesar de a mudança ter sido radical, ela foi também natural para ele, por ser algo mais minimalista. Inicialmente, sua família e amigos estranharam. “No começo todos reagiram com espanto e ceticismo, mas depois de conhecerem algumas informações a respeito ninguém pôde negar que era plausível e me deixaram em paz”, explica Genaro. “Depois de algum tempo correndo sem lesões, me divertindo muito e a legião de barefooters1 crescendo (várias pessoas) começaram a correr também e até mais do que eu. Hoje até minha mãe corre descalça”.

Correr descalço ou calçado?

Alguns médicos e pesquisadores afirmam que como o corpo já é preparado para a atividade, tênis de corrida com amortecedores e as diferenças entre os diversos modelos causam o enfraquecimento dos pés. O contato dos pés com o chão fortalece os músculos que são responsáveis pelo controle de impacto. Além disso, os sapatos forçam a pisada natural do corpo a se inverter. Na corrida natural, o peito do pé chega ao chão antes dos calcanhares. Com o tênis, o calcanhar chega primeiro.

Os defensores da técnica afirmam que os sapatos especializados podem ser  responsáveis por lesões e que o corpo se beneficiaria mais com o contato direto com chão. Outro benefício apontado por eles é o fortalecimento dos pés, a modalidade traria a correção da postura do corredor (devido à melhor sustentação do corpo) e um gasto inferior a 5% de energia. Esses fatores combinados evitariam a fadiga e contribuiriam para que o atleta tivesse um melhor aproveitamento do exercício.

Enquanto alguns médicos recomendam a prática, outros são absolutamente contrários, afirmando que a transição pode ser muito prejudicial. Na visão de alguns especialistas, os calçados são cruciais para a prevenção de lesões e redução dos riscos da corrida e tal mudança precisaria ser avaliada com mais critério. Em pessoas acima de 40 anos, por exemplo, as articulações já passaram por desgastes degenerativos, e a corrida descalça poderia acelerar o processo. Também existem estudos mostrando que não ocorre a economia de energia citada pelos defensores da prática e outros mostrando que apesar de o impacto dessa forma de corrida ser menor, ela pode provocar maior rigidez nos tornozelos.

Para Genaro, o que importa é o cuidado e o autoconhecimento do corredor. “Claro que (a corrida descalça) oferece riscos, e é necessário aprender a minimizá-los para evitar lesões e acidentes”. Ele afirma ainda que correr sem calçados permite que o esporte coloque a pessoa em maior contato consigo mesma. Além do ótimo preparo físico que a corrida proporciona, corremos sem ‘muletas’ como o tênis e outras parafernálias nossa atenção se dirige para o interior e a experiência é muito mais rica em sensações e autoconhecimento. Não temos como atribuir o sucesso de nossas conquistas a nenhum objeto senão a nós mesmos e isto é imensamente gratificante. Ficamos conscientes de que somos capazes de muito apenas com os recursos que já temos”.

Para o médico ortopedista Dr. Ubiratan Brum os calçados especializados trazem o fortalecimento e o enfraquecimento de diferentes áreas dos pés. Eles podem, por exemplo, facilitar o apoio do calcanhar, mas prejudicar o arco plantar. “O corpo humano foi preparado ao longo de milhares de anos para a corrida, seja descalço ou com calçados planos como sandálias e mocassins”, explica. O especialista avalia que o questionamento sobre a corrida descalça é natural, mas que mais estudos são necessários.

E lembre-se: antes do início de qualquer atividade física é importante conversar com um especialista. Apenas ele poderá indicar o exercício mais apropriado e a melhor forma de executá-lo.

Para conhecer mais sobre o assunto vale a pena visitar o site de Genaro – barefoot Brasil - onde ele escreve sobre sua prática da atividade e também o portal pés-descalços.

Nota

1Barefoots: do inglês, a palavra significa descalços. Usada para designar as pessoas que são adeptas de técnica de correr sem calçados.

Referências

Barefoot Brasil. http://www.barefootbrasil.com/

Correndo Descalço. http://pes-descalcos.org/run/

Copyright2012 © Bibliomed, Inc.                                                 16 de agosto de 2012



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: