Publicidade

Artigos de saúde

Látex como causa de alergia

Equipe Editorial Bibliomed

Neste Artigo:

- Introdução
- Epidemiologia
- Causas
- Reações ao látex
- Como é feito o diagnostico de alergia ao látex?
- Como controlar este tipo de alergia?

"O látex é uma causa comum de alergia ocupacional em profissionais da saúde já que, atualmente, numerosos produtos médicos e luvas contêm látex".

Introdução

Infelizmente, não há cura para a hipersensibilidade ao látex. No entanto, apesar dos avanços associados a estudos de biologia molecular de alérgenos do látex e melhor entendimento de sua imunologia, evitar o contato ainda é o único tratamento efetivo.

Epidemiologia

A prevalência de alergia ao látex na população em geral parece ser menor do que 1%. Grupos distintos em risco de alergia ao látex incluem trabalhadores da manufatura da borracha, crianças, e profissionais da saúde.
Vários estudos sugerem que o fator mais importante na sensibilização ao látex é o grau de exposição. Não parece haver um risco aumentado associado à idade ou ao sexo.

Qualquer um pode desenvolver alergia ao látex, mas os profissionais da saúde estão em maior risco. Uso de luvas de látex por muito tempo e níveis aumentados de concentração de látex estão associados ao desenvolvimento da hipersensibilidade ao látex. Apesar da maioria dos trabalhadores da área de saúde desenvolver hipersensibilidade ao látex devido ao aumento do uso da luva, a hipersensibilidade pode ocorrer devido ao uso de outros produtos contendo látex, tais como: tubos, aparelhos de pressão, máscaras faciais, torniquetes, drenos, cateteres, seringas, etc.

Causas

A adoção de precauções contra as infecções hospitalares e na proteção do profissional da saúde, no final da década de 80, contribuiu para a incidência de hipersensibilidade ao látex. Isto ocorreu porque, com o surgimento da AIDS e de outras doenças transmissíveis através do sangue e do contato com outros fluidos corporais, os profissionais da área de saúde adotaram o uso das luvas de látex em procedimentos e em cirurgias. Esta é a maior fonte de exposição ao látex durante procedimentos médicos.

A redução no tempo de processamento do látex, devido a maior demanda talvez pode ter sido responsável por aumentar os antígenos responsáveis pela hipersensibilidade. Outro fator que pode ter contribuído para este aumento é o tratamento químico a que as seringueiras são submetidas. A produção em massa de borracha requer o tratamento das seringueiras com fitohormônios. Estes, por sua vez, aumentam a produção de substâncias que protegem as árvores de patógenos e são produzidas em maiores quantidades quando o látex é retirado. Estas substâncias têm propriedades alergênicas e foram identificadas no látex. Conseqüentemente, a produção em massa, aumentará a quantidade destas substâncias, resultando em um látex mais alergênico.

Reações ao látex

As manifestações clínicas de reação ao látex variam entre os indivíduos.

Dermatite de contato por irritação é uma reação não-alérgica que normalmente resulta de fricção, oclusão ou maceração que pode ocorrer quando se usa luva. A pele afetada por este tipo de dermatite pode estar mais predisposta a desenvolver reações alérgicas ao látex.

Algumas horas ou dias seguintes à exposição, a pele afetada de um indivíduo previamente sensibilizado começa a coçar, fica avermelhada, e pode desenvolver bolhas. Outras manifestações dependem da exposição. Os aerossóis de proteínas do látex podem causar rinite e conjuntivite alérgica. Exposição de mucosa da boca freqüentemente resulta em inchaço. Em reações mais severas pode ocorrer progressão para reação alérgica grave (anafilaxia) e até mesmo morte.
Há relato de casos de anafilaxia em pacientes durante o procedimento cirúrgico devido ao látex das luvas cirúrgicas. Há, também, relato de anafilaxia pós-operatória devido a cateteres com balões de látex.

As proteínas do látex são inaladas devido ao talco que lubrifica as luvas, podendo causar, assim, reações de hipersensibilidade quando as luvas são retiradas das mãos e as proteínas aderidas ao talco permanecem como aerossóis no ambiente.

Demonstrou-se que a quantidade de partículas em aerossol coincidia com a quantidade de talco nas luvas. Altas quantidades de partículas em aerossol são detectadas em áreas onde o uso da luva é intenso, como salas de cirurgia, salas de emergência e unidade de terapia intensiva.

Como é feito o diagnostico de alergia ao látex?

O diagnóstico de alergia ao látex é feito através da história do paciente e de testes diagnósticos. Embora os testes possam confirmar a hipersensibilidade, a mais importante ferramenta para identificar indivíduos sob risco é uma história médica completa, a qual deve incluir: história de alergia a alimentos e medicamentos; história de asma ou eczema; reações adversas como chiera, erupções cutâneas, tosse, etc.

Como controlar este tipo de alergia?

Infelizmente não existe cura para a hipersensibilidade ao látex. O método mais eficiente para reduzir as reações ao látex é evitar qualquer exposição. A resposta alérgica piora com o tempo quando a exposição ao látex é continua.

Entretanto, é impossível eliminar totalmente o látex do ambiente. A redução da sua concentração já traz resultados. O uso de luvas hipoalérgicas diminuiu os alérgenos; o uso de luvas sem talco diminui os antígenos protéicos e químicos. Reduzir a quantidade de talco nas luvas diminui também a quantidade de antígenos de látex inalados. Objetos de plástico, como brinquedos, chupetas, mordedores e até roupas podem conter látex. Elásticos de roupas também são confeccionados a partir dessa substancia.

Copyright © 2007 Bibliomed, Inc.                                        Revisado em 15 de março de 2007



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: