Publicidade

Artigos de saúde

Cuidado com o Lança-Perfume

J. Elias Murad*

Aproxima-se o Carnaval e, com ele, iniciam-se as recomendações sobre os excessos que podem ser cometidos pelos foliões. Além da advertência para se evitar o uso exagerado das bebidas alcoólicas e os cuidados para não se dirigir veículos alcoolizado, não se deve esquecer de alertar a população a respeito do uso inadequado - especialmente na época carnavalesca - de um produto ilegal chamado lança-perfume. Tal produto encontra-se proscrito no Brasil desde 1961 por decreto do então Presidente Jânio Quadros, principalmente porque a matéria química com que é fabricado - o cloretila ou cloreto de etila - não tem mais utilidade terapêutica, uma vez que seu uso como anestésico geral está obsoleto e ultrapassado pelos modernos anestésicos. Além disso, usado com certa freqüência, pode provocar dependência e, em dose alta, matar por parada cardíaca ou respiratória.

O produto é geralmente aspirado pelos usuários e, inicialmente, produz euforia excitação e embriagues. Entretanto, em doses um pouco maiores, pode provocar desmaios com perda da consciência, e se o indivíduo não for prontamente atendido, pode morrer por colapso geral. Ainda mais: tal como acontece com os solventes voláteis - como tolueno das colas de sapateiros - pode lesar os neurônios, que são células nervosas do cérebro, de maneira às vezes irreversível.

Ultimamente o produto vem sendo contrabandeado da Argentina para o Brasil, pois sua fabricação e venda são livres naquele país, onde tem o nome de "Universitário", sendo o produto lançado no mercado eufemisticamente como "aromatizador de ambiente". Na Argentina, as coisas andam tão mal atualmente, que o produto pode até ser útil para melhorar os seus "ares", principalmente na área financeira, mesmo que seja através de contrabando. Por isso as autoridades brasileiras devem ficar mais alertas do que nunca nas fronteiras com o referido país, pois, no Brasil, como há ainda uma certa tradição de seu uso durante o Carnaval, onde alguns indivíduos para ficarem mais embalados nas festas carnavalescas tomam o chamado "porre" de lança-perfume, o seu contrabando aumenta durante as festividades de Momo.

É preciso tomar cuidado para que as alegrias do Carnaval não se transformem em tragédia!

* Médico, farmacêutico e químico.


Copyright © 2002 Bibliomed, Inc.                  25 de Janeiro de 2002.



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: