Publicidade

Artigos de saúde

Câncer de Mama: Os Fatores Ambientais

Igualmente à herança genética e à produção endógena de estrógeno na mulher, os fatores ambientais são fatores de risco para o desenvolvimento de câncer de mama nas mulheres.

O Dr. Alfredo Die Goyanes, médico espanhol e especialista no assunto, assegura que a saúde de um indivíduo ou grupo humano é o resultado de um complexo jogo de relações entre hereditariedade, fatores ambientais, comportamento e disponibilidade dos serviços de saúde.

Os fatores ambientais, do comportamento e hereditários podem causar alterações no organismo de uma pessoa e desencadear uma ou mais doenças. Doenças como o câncer podem, de alguma forma, serem previníveis, diagnosticadas e curadas a tempo, dependendo do comportamento da pessoa e da utilização oportuna e adequada dos serviços de saúde.

Sem dúvida, o câncer de mama como doença na América Latina ocupa um dos primeiros lugares, devido ao aumento do número de casos da doença e das mortes decorrentes da mesma, que ocorrem a cada dia. Assim, o aumento do consumo dos fatores de risco traz consigo um aumento da doença.

O que é o Câncer?

É uma doença, em que as células do organismo estão alteradas, de forma a multiplicarem-se repetidamente até produzirem milhões de células jovens igualmente alteradas. Daí derivam-se todos os tipos de câncer e manifestam-se de diferentes formas.

O que é Câncer de Mama?

É o tumor maligno mais freqüente na mulher. Como citado anteriormente, nos artigos passados, os fatores epidemiológicos para desenvolver a doença são:

1-Predisposição genética.
2-Ambiente hormonal alterado.
3-Incompetência imunológica.
4-Exposição a carcinógenos.
5-Condições pessoais e demográficas adversas.

A Dra. Sophía Parejas, médica argentina, comenta que, no caso de fatores ambientais, que influem no risco de câncer de mama, os mais diretos são a exposição a carcinógenos e as condições pessoais e demográficas adversas.

A exposição a carcinógenos é representada por todos os fatores externos que contribuem para desenvolvimento da doença, tais como álcoolismo, tabagismo, exposição química, etc. As condições pessoais e demográficas adversas reúnem fatores como as próprias circunstâncias em que a pessoa vive dentro da sua comunidade e às quais se encontra exposta. Por exemplo, se vive próxima a uma fábrica de produtos químicos ou a depósitos de lixo, apresenta outro fator de risco.

Segundo a Associação Espanhola de Luta Contra o Câncer, outros fatores ambientais de risco são:

- Consumo de álcool.
- Radiações ionizantes.
- Stress psicológico.
- Hipotireoidismo.
- Obesidade.
- Diabetes.
- Consumo elevado de gorduras.

Estes fatores têm sido colocados como fatores de risco para câncer de mama.

Existem outros fatores, como os tratamentos realizados nas mulheres que apresentam desordens hormonais, utilizando anticoncepcionais, os quais contêm estrógeno, hormônio produzido pela mulher de maneira endógena. Quando se emprega anticoncepcionais, aumenta-se o nível de estrógeno, já que se soma à este a quantidade de estrógeno produzida pela própria mulher

A American Cancer Society realizou um estudo no qual conclui que hábito de fumar é fator de risco para câncer de pulmão, garganta e boca. Isto quer dizer que um mesmo fator de risco pode estar relacionado com vários tipos de câncer e outras doenças.

Existem duas classes de fatores de risco, segundo a American Cancer Society:

- Os que podem ser modificados.
- Os que não podem ser modificados.

Os fatores de risco que podem ser modificados são aqueles que dependem do comportamento assumido por cada pessoa. Neste ponto, destacam-se os hábitos alimentares, como o consumo permanente de açúcares refinados e gordura animal que facilitam o surgimento de câncer de mama nas mulheres. Neste sentido, também a dieta pobre em fibras predispõe à enfermidade. Além disso, os aditivos utilizados para conservar os alimentos como carnes frias, contêm nitritos que podem ser causadores de câncer de estômago, estas substâncias formam compostos que são capazes de produzir a doença.

Como já foi dito, no primeiro artigo, a raça judia adquiriu geneticamente uma porcentagem elevada de câncer de mama. Uma das razões foi a guerra, aonde estiveram expostos ao chumbo e a outros elementos químicos nos campos de concentração. Outros fatores modificáveis citados anteriormente são o consumo de álcool, radiações ionizantes, clima frio, stress psicológico, hipotireoidismo, obesidade e consumo elevado de gorduras.

Entre os fatores não modificáveis que também podem facilitar o aparecimento do câncer encontram-se: sexo, dado que certos tipos de câncer são mais freqüentes na mulher, como o câncer de mama; idade, posto que se tem demonstrado que quanto maior a idade maior o risco, sobretudo quando não foram postas em prática as medidas de autocuidado desde a infância.

Outro fator de risco não modificável é a herança genética, tendo sido demonstrado segundo a American Cancer Society que o câncer é mais freqüente em pessoas com história familiar da doença.

Devido ao pouco que pode ser feito para interferir nos fatores de risco não modificáveis, devemos por em prática as normas de autocuidado para modificar os fatores que dependem do comportamento.

O cuidado diante de um câncer de mama por fatores ambientais pode estar nas mãos de cada um, como por exemplo o não fumar, não exceder na quantidade de álcool, manter cuidado na dieta e estar em contato permanente com o médico pode ser uma ferramenta de controle para não desenvolver a doença.

Copyright © 2000 eHealth Latin America



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: