Publicidade

Artigos de saúde

Os Psicotrópicos

Dr. João Roberto D. Azevedo

Os psicotrópicos são remédios utilizados no combate da ansiedade, depressão, angustia, insônia, agitação, que são sintomas muito freqüentes no idoso. São também denominados sedativos ou tranqüilizantes.

Em geral são compostos por substâncias denominadas benzodiazepínicos (tranqüilizantes). Sua utilização indiscriminada é comum e traz graves efeitos colaterais. A associação destas substâncias com outras também freqüentemente utilizadas na terceira idade, como por exemplo os diuréticos, pode trazer graves conseqüências, como quedas e fraturas.

É comum observar-se a utilização continuada de tranqüilizantes por meses ou até anos seguidos. Estas substâncias além de provocarem dependência levam a uma queda do rendimento individual com diminuição da memória, da atenção, da força muscular, da potência sexual. Tais fatos acentuam a ansiedade ou a depressão, criando círculo vicioso muito negativo.

Estudos científicos mostram que as substâncias tranqüilizantes se comportam de maneira diferente no organismo do idoso, havendo tendência a aumentar seu efeito sedativo. Não é raro o idoso queixar-se de falta de memória acentuada, justificando-a como sendo devida à idade, e na realidade tratar-se de intoxicação por psicotrópicos.

A pessoa dependente do psicotrópicos sofre quando de sua retirada súbita, podendo apresentar agitação, palpitações, e tremores. A retirada deve ser sempre feita vagarosamente e sob controle médico.

Aconselha-se o uso de psicotrópicos com muito critério, de preferência por tempo curto e quando necessário um uso mais prolongado deve ser feito de maneira irregular, descontinuando-o com freqüência.

Na terceira idade é uma boa norma utilizar-se rotineiramente a metade da dose utilizada para o adulto jovem. Em situações de graves distúrbios psiquiátricos sua utilização pode ser continuada e sempre sob controle médico.

A utilização de hipnótico ou regulador de sono também não deve ser prolongada, mesmo porque seu efeito sonífero em geral é curto sendo substituído por sua ação depressora. O uso prolongado de hipnótico pode levar a estado de ansiedade durante o dia.

A melhor indicação para seu uso é durante uma viagem noturna quando pode produzir sono que leva à sensação de repouso com mínimos efeitos colaterais. Outra indicação habitual é na noite que precede uma cirurgia. Naquelas pessoas dependentes de seu uso a sua interrupção abrupta pode levar à insônia grave e grande mal estar.

Copyright © 2000 eHealth Latin America



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: