Artigos de saúde

Mastectomia

© Equipe editorial Bibliomed

Neste artigo:

- Introdução
- Tipos de mastectomia
- Recomendações
- Efeitos colaterais
- Reconstrução da mama
- Tratamentos complementares
- Cuidados

Introdução

Durante o tratamento do câncer de mama, normalmente, é realizada uma cirurgia para a retirada do tumor. São duas as técnicas que podem ser utilizadas: a primeira, conhecida por lumpectomia, ou cirurgia conservadora da mama, que busca conservar a maior parte tecido mamário; e a segunda, a mastectomia, que consiste na retirada total do tecido mamário.

Dados da Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) mostra que a mastectomia é realizada em 70% dos casos de cânceres de mama diagnosticados no país, e um dos motivos é a demora no diagnóstico. O diagnóstico precoce aumenta as chances de cura para até 95% se o tumor for descoberto logo no início (com menos de 2cm).

Tipos de mastectomia

Existem diferentes tipos de mastectomia e formas de realização da cirurgia. As mais comuns são:

Mastectomia simples: também conhecida como mastectomia total, é o procedimento no qual toda a mama, incluindo mamilo, aréola e pele, é retirada. O cirurgião pode optar por remover, também, alguns linfonodos na axila.

Mastectomia poupadora de pele: neste tipo de cirurgia, a maior parte da pele sobre a mama é deixada intacta, sendo extraídos somente o tecido mamário, mamilo e aréola. Neste tipo de cirurgia, a mama pode ser reconstruída com implantes ou tecidos de outra parte do corpo, algumas vezes, durante o próprio procedimento. Esta é a opção de boa parte das pacientes, pois oferece melhor resultado estético se comparado com a mastectomia simples e o risco de recorrência de tumores é o mesmo que com outros tipos de mastectomia.

Mastectomia poupadora de mamilo: variação da mastectomia poupadora de pele, este procedimento consiste na retirada do tecido mamário mantendo preservados a pele e o mamilo, seguido pela reconstrução da mama. Este procedimento, no entanto, só pode ser realizado se o tecido mamário sobre o mamilo e a aréola não contiver células cancerígenas. Caso o cirurgião detecte alguma célula nesses tecidos, os mesmos devem ser retirados. Por ter mais riscos de complicações que as mastectomias simples e poupadora de pele, a mastectomia poupadora de mamilo não é considerada um tratamento padrão para o câncer de mama.

Mastectomia radical modificada: combina uma mastectomia simples com a remoção dos gânglios linfáticos sob o braço (denominada dissecção dos linfonodos axilares).

Mastectomia radical: neste procedimento são removidos toda a mama, os linfonodos axilares (axilas) e os músculos peitorais (parede torácica) sob a mama. Geralmente, é utilizada em tumores grandes e que estão crescendo nos músculos peitorais.

Mastectomia dupla: também conhecida como mastectomia bilateral,é o procedimento realizado em ambas as mamas. Normalmente é realizado em mulheres com risco muito alto de desenvolver câncer de mama, como aquelas com mutação no gene BRCA. A maioria dessas mastectomias são mastectomias simples, mas algumas podem poupar os mamilos.

Recomendações

A mastectomia não é o único tratamento para câncer de mama. Se diagnosticado em fase inicial, o câncer de mama pode ser tratado com uma cirurgia conservadora de mama combinada com outros tipos de procedimentos, como a quimioterapia e a radioterapia. Contudo, em alguns casos, a mastectomia pode ser a melhor escolha, como no caso de:

- Pacientes incapazes de receber terapia de radiação;
- Já fez radioterapia nas mamas;
- Já fez cirurgia conservadora da mama e a doença não foi completamente removida;
- Duas ou mais áreas de câncer na mesma mama que não estão próximas o suficiente para serem removidas juntas sem alterar muito a aparência da mama;
- Tumor maior (com mais de 5cm de diâmetro) ou um tumor grande em relação ao tamanho do peito;
- Gravidez (o que impede a realização de radioterapia por risco ao feto);
- Fatores genéticos, como mutação do gene BRCA;
- Doença grave no tecido conjuntivo, como esclerodermia ou lúpus;
- Câncer de mama inflamatório;
- Quando a paciente prefere fazer a mastectomia à radioterapia.

Efeitos colaterais

A mastectomia, independente do método escolhido, é uma cirurgia, e como tal, pode ter efeitos colaterais. Estes englobam:

- Dores na parede toráxica, axila e braço;
- Inchaço na parte superior do braço;
- Seroma (acúmulo de líquido embaixo da pele, durante o pós-operatório de uma cirurgia, deixando a área da cicatriz mais alta que o normal);
- Hematomas;
- Limitação nos movimentos do braço e ombro.
- Hemorragia;
- Linfedema;
- Infecção;

Reconstrução da mama

Embora cada caso de câncer seja único, a maioria das pacientes submetidas a uma mastectomia consegue realizar a reconstrução mamária. Neste procedimento, o cirurgião busca reconstruir a mama para restaurar sua aparência.

A reconstrução pode ser realizada ao mesmo tempo que a mastectomia (reconstrução imediata) ou num momento posterior (reconstrução tardia), e a intenção de fazer o procedimento deve ser informada ao médico no início do tratamento, para que a cirurgia de mastectomia escolhida permita sua realização.

Algumas pacientes podem optar por não fazer a reconstrução das mamas, e, assim como aquelas que desejam fazê-la, é importante conversar com o médico antes da mastectomia.

Tratamentos complementares

Mesmo com a realização das mastectomia, algumas pacientes podem precisar se submeterem a outros tratamentos, como a radioterapia, quimioterapia, terapia alvo ou terapia hormonal. Todos estes tratamentos serão indicados pelo médico e visam a eliminação total do câncer e evitar sua reincidência.

Cuidados

Mulheres submetidas à mastectomia têm um prazo de recuperação médio de quatro semanas. Contudo, nos casos onde é feita a reconstrução, a recuperação pode ser um pouco mais demorada. Após a cirurgia, as pacientes são orientadas sobre os cuidados, que incluem:

- Cuidados com o local da cirurgia e drenos;
- Reconhecimento de sinais de infecção;
- Cuidados no banho e ao se vestir;
- Movimentação dos braços;
- Alimentação e atividades físicas;
- Fisioterapia;
- Uso de medicamentos;
- Agendamento de consulta de apoio;
- Programas de apoio e imagem corporal;

Copyright © 2019 Bibliomed, Inc. 16 de outubro de 2019