Notícias de saúde

COVID-19 pode causar pneumonia difícil de tratar

01 de abril de 2020 (Bibliomed). A pandemia do COVID-19 começou em Wuhan, na China, como um conjunto de casos de pneumonia incomumente graves, de causa desconhecida. Agora que a doença se espalhou globalmente, os pulmões continuam a suportar o impacto da infecção nos seres humanos.

Um pequeno estudo publicado recentemente na revista Academic Radiology descobriu que o novo coronavírus afetou ambos os pulmões em quase 80% dos casos, com a grande maioria mostrando lesões ou inflamações significativas na tomografia computadorizada (TC).

O vírus que causa o COVID-19, o SARS-CoV-2, ou coronavírus da síndrome respiratória aguda grave, infecta as células que revestem o trato respiratório do nariz para os pulmões, onde causa a morte das células e cria um sistema imunológico. Essa reação imunológica ajuda a limpar o vírus, mas também pode causar danos aos pulmões.

Embora a maioria das pessoas infectadas com COVID-19 não tenha nenhum sintoma ou sinta uma infecção do trato respiratório superior, com sintomas que incluem febre baixa, tosse, congestão sinusal e dor de cabeça ou fadiga, algumas podem evoluir para o que parece como um caso grave de gripe.

Até 6% das pessoas com coronavírus desenvolvem pneumonia, uma infecção que afeta o trato respiratório inferior, a região abaixo da laringe. Infecções do trato respiratório inferior muitas vezes resultam em doenças graves porque podem afetar a capacidade de respirar.

O COVID-19 causa lesão pulmonar aguda, caracterizada pelo preenchimento dos espaços aéreos com líquido, proteína e células. É semelhante a outras pneumonias virais nos resultados finais: incapacidade do pulmão de oxigenar adequadamente o sangue.

O tipo de pneumonia associada ao COVID-19 foi descrito como uma infecção que afeta as passagens aéreas que movimentam o ar entre os pulmões e o mundo exterior. Com esta infecção, o revestimento das passagens aéreas fica inflamado e irrita os nervos no revestimento das vias aéreas. À medida que a infecção progride, o líquido pode acumular-se nas passagens aéreas e nos sacos de ar no fundo dos pulmões, antes de se espalhar para o restante dos pulmões.

É essa tendência de afetar todos os pulmões que torna a pneumonia causada pelo novo coronavírus tão única e grave. Os pulmões cheios de líquido são incapazes de enviar oxigênio suficiente à corrente sanguínea. Como resultado, o corpo é menos capaz de absorver oxigênio e se livrar do dióxido de carbono.

Embora alguns tipos de pneumonia sejam causados ??por uma infecção bacteriana e, portanto, sejam tratáveis ??com antibióticos, isso não se aplica a todos os casos. Neste ponto, não há cura para a pneumonia associada ao COVID-19, então os médicos estão se concentrando em fornecer "cuidados de suporte", explica o Dr. Raju Reddy, professor assistente da Divisão de Medicina Pulmonar, Cuidados Intensivos e Medicina do Sono da University of Florida Health, nos Estados Unidos. O tratamento atualmente empregado envolve o uso de ventiladores para ajudar os pulmões a manter altos níveis de oxigênio até que a infecção resolva e os órgãos possam funcionar normalmente por conta própria.

A média mundial aponta que entre 1% e 2% dos pacientes com COVID-19 não conseguem se recuperar, e os pesquisadores dizem que aqueles que ainda o fazem podem estar em risco de desenvolver infecções secundárias. Por isso, eles podem ser tratados com medicamentos antivirais ou antibióticos para atenuar o impacto.

Fonte: The New England Journal of Medicine. DOI: 10.1056/NEJMoa2002032.

Copyright © Bibliomed, Inc.

Copyright © 2020 Bibliomed, Inc.

Veja também

Faça o seu comentário
Comentários