Publicidade

Notícias de saúde

Crack Mata 1 a Cada 5 Usuários, Revela Pesquisa da Unifesp

Por Matthew Harris

RECIFE (Reuters Health) - O crack pode matar 20 por cento de seus usuários num prazo de cinco anos, segundo pesquisa da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

O levantamento realizado pelo Departamento de Psiquiatria da instituição analisou 131 usuários de crack hospitalizados entre 1992 e 1994.

Passados cinco anos, apenas 124 deles foram localizados, sendo que, destes, 23 tinham morrido por causa da droga. Dos demais, 16 estavam presos, 30 continuavam usando regularmente a droga e 50 tinham conseguido deixar o crack ao longo desses cinco anos.

De acordo com Marcelo Ribeiro de Araújo, psiquiatra e autor do estudo, 66 por cento dos usuários não receberam nenhum atendimento médico nem seguiram tratamento depois da primeira internação.

"A pesquisa mostra claramente que o usuário de crack vai de um extremo a outro", explicou o médico em declaração à imprensa.

"Ou o indivíduo conseguiu livrar-se sozinho do vício ou morreu num prazo extremamente curto", informou o pesquisador.

O grupo de estudo era formado por maioria de homens (88 por cento), com menos de 30 anos de idade (70 por cento), solteiros (75 por cento) e brancos (76 por cento).

Sinopse preparada por Reuters Health

Copyright © 2000 Reuters Limited. All rights reserved. Republication or redistribution of Reuters Limited content, including by framing or similar means, is expressly prohibited without the prior written consent of Reuters Limited. Reuters Limited shall not be liable for any errors or delays in the content, or for any actions taken in reliance thereon.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: