Publicidade

Notícias de saúde

Insulina Pode Indicar Risco de Doença Cardíaca

Por Suzanne Rostler

NOVA YORK (Reuters Health) - Crianças obesas com altos níveis de insulina no sangue também são suscetíveis a ter altos níveis de hemocisteína, uma combinação que parece aumentar o risco de problemas cardíacos e derrame, segundo um novo estudo.

Aumentando ainda mais esses riscos, essas crianças e adolescentes parecem ter níveis mais baixos de folato, uma vitamina que pode reduzir os níveis de hemocisteína, provavelmente porque não comem quantidades adequadas de verduras e legumes.

A combinação de hemocisteína elevada e folato reduzido pode aumentar as chances de crianças obesas desenvolverem problemas cardíacos, de acordo com pesquisadores da Universidade de Graz, na Áustria.

A equipe de cientistas estudou a relação em 84 crianças e adolescentes e relatou suas descobertas na edição de setembro do Diabetes Care.

"A implicação de nossa descoberta poderia ser que a redução dos fatores de risco cardiovasculares, como a gordura corporal e insulina -- por meio de dieta e/ou atividade física -, seria capaz de melhorar o metabolismo da hemocisteína", explicou durante entrevista, o chefe da equipe de cientistas, Siegfried Gallistl.

O pesquisador disse à Reuters Health que a insulina parece inibir as enzimas envolvidas no metabolismo da hemocisteína.

A insulina é um hormônio fundamental, responsável pela absorção celular da glicose (açúcar) dos alimentos, que é usada por todo o organismo como combustível. Por isso, tanto os níveis de insulina como suas taxas de glicose no sangue são altas.

A longo prazo, as pessoas com diabete tipo 2 correm risco maior de desenvolver problemas cardíacos e ter derrame.

Outras pesquisas já haviam associado altos níveis de hemocisteína, uma substância que é formada pela digestão das proteínas, ao maior risco de doença cardíaca e derrame em adultos. A dieta gordurosa também contribui para elevar a hemocisteína, possivelmente por causa do baixo consumo de vegetais ricos em folato.

"Nosso estudo demonstrou pela primeira vez que a insulina é um correlato significativo da hemocisteína em crianças e adolescentes obesos e sugere que (insulina alta) pode contribuir para o comprometimento do metabolismo da hemocisteína na obesidade infantil", concluíram os pesquisadores.

Sinopse preparada por Reuters Health

Copyright © 2000 Reuters Limited. All rights reserved. Republication or redistribution of Reuters Limited content, including by framing or similar means, is expressly prohibited without the prior written consent of Reuters Limited. Reuters Limited shall not be liable for any errors or delays in the content, or for any actions taken in reliance thereon.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: