Publicidade

Notícias de saúde

Células cancerígenas envelhecem mais devagar que as saudáveis

04 de julho de 2011 (Bibliomed). Pesquisadores da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), em parceria com cientistas norte-americanos, descobriram que a célula cancerígena, diferente da célula sadia, não entra em senescência, ou seja, não envelhece, e conseguiram identificar dois genes envolvidos nessa maior durabilidade dessas células.

O envelhecimento celular é determinado pelo mecanismo molecular caracterizado pelo encurtamento dos telômeros (parte da sequência de DNA que protege as extremidades dos cromossomos). Esse encurtamento é provocado pela ativação da enzima telomerase, que não é produzida pelos telômeros.

O estudo mostra que existe uma nova via de células cancerígenas independente da telomerase, capaz de manter o comprimento do telômero. A técnica utilizada foi a de marcação histológica molecular, conhecida como "hibridização in-situ com marcadores fluorescentes específicos de telômeros" (FISH, em inglês), através da qual foram identificados dois genes com alta frequência em tumores, o ATRX e o DAXX, que são responsáveis por manter o comprimento dos telômeros, evitando o envelhecimento das células cancerígenas.

Os cientistas acreditam que agora será possível descobrir a doença antes que ela se torne um tumor sólido, que é mais difícil de ser tratado. "Essas são mutações genéticas que só existem nos tumores. Se conseguirmos rastreá-las durante a evolução do paciente, será possível saber, precocemente, se o tumor voltou ou se está crescendo", diz Suely Kazue Nagahashi Marie, professora da FMUSP e uma das autoras da pesquisa.

Fonte: Diário da Saúde, 01 de julho de 2011

Copyright © 2011 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: