Publicidade

Notícias de saúde

Advogados Britânicos Defendem Operação de Gêmeas Siamesas

Por Kate Kelland

LONDRES (Reuters) - Os advogados de médicos que querem separar as gêmeas siamesas de 5 semanas -- permitindo que somente uma delas sobreviva -- afirmaram em uma Corte britânica na quarta-feira que acreditam que a operação é legal.

"Não estamos pedindo autorização para algo que é ilegal. Nossa alegação é que a operação seria legal", disse Adrian Whitfield, advogado do hospital em Manchester, ao norte da Inglaterra, onde as gêmeas nasceram.

As gêmeas siamesas nasceram no Hospital St Mary, em Manchester, em 8 de agosto, após seus pais viajarem à Grã-Bretanha, provenientes de um país europeu não revelado, em busca de assistência médica.

Uma das gêmeas, Jodie, é muito mais forte do que sua irmã, Mary, e os médicos disseram que ela irá sobreviver por mais tempo se for separada de Mary, que depende completamente do coração e dos pulmões de Jodie para viver.

Os pais das gêmeas disseram, no entanto, que Deus, e não os médicos, deve decidir se elas irão viver e por quanto tempo.

A Corte Suprema britânica decidiu, em 25 de agosto, que as gêmeas devem ser separadas, contra a vontade dos pais.

Uma comissão de três juízes, reunidos na quarta-feira após uma suspensão de uma semana, afirmou que a Corte entrou em contato com juízes da Austrália, da África do Sul e do Canadá para pedir orientação, mas que descobriu que não existiam casos similares nesses países.

O magistrado Ward, um dos juízes, disse na semana passada que passou a noite em claro preocupado com o dilema do caso: "Matamos Mary para salvar Jodie?"

Até o final desta semana não deve sair nenhuma decisão sobre a apelação. Os advogados dos pais das meninas afirmaram que, caso a decisão seja contra sua vontade, eles irão apelar na Câmara dos Lordes britânica ou à Corte Européia de Direitos Humanos.

Sinopse preparada por Reuters Health

Copyright © 2000 Reuters Limited. All rights reserved. Republication or redistribution of Reuters Limited content, including by framing or similar means, is expressly prohibited without the prior written consent of Reuters Limited. Reuters Limited shall not be liable for any errors or delays in the content, or for any actions taken in reliance thereon.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: