Publicidade

Notícias de saúde

Especialista alerta para a importância da higiene bucal dos bebês

02 de julho de 2010 (Bibliomed). Os cuidados com a saúde bucal devem começar bem cedo, apesar de muitas mães não se preocuparem com a higiene bucal dos bebês. De acordo com especialistas, a saúde bucal da criança no futuro dependerá de alguns cuidados no começo de sua vida, incluindo a amamentação e a limpeza da gengiva do bebê com fralda ou gaze úmida.

A dentista Maristela Lobo destaca que os bebês necessitam, fundamentalmente, do leite materno, que além de ser uma ferramenta de proteção contra as doenças do organismo, previne as cáries precoces. “O leite materno fornece anticorpos essenciais ao desenvolvimento completo do sistema imunológico da criança, o que não acontece com o leite industrializado, e desenvolve a relação psicoemocional da criança”, explica a especialista.

Algumas crianças têm maior necessidade de sucção, e chupar o dedo torna-se quase inevitável, muitas vezes, desde a vida intrauterina. “O ideal é que a criança pare de chupar o dedo até, no máximo, os quatro anos de idade, para que não haja danos ao desenvolvimento do sistema respiratório e estomatognático (boca) e à anatomia do próprio dedo”, explica a dentista. Segundo ela, é melhor que a criança não tenha nenhum hábito de sucção, “mas se as mães tiverem que escolher entre o dedo e a chupeta, certamente a sucção da chupeta é um hábito mais fácil de ser controlado e eliminado”.

Em relação à limpeza, desde o nascimento, os pais devem realizar a higiene bucal com fralda ou gaze úmida após as mamadas na gengiva e na língua do bebê. De acordo com a dentista, quando os primeiros dentinhos nascem, deve-se iniciar a escovação, de forma suave, com escova macia, sem creme dental, ou com creme dental específico para os bebês - sem flúor e substâncias alergênicas. Esse ato fará com que o bebê se acostume aos movimentos da escovação. Os cremes com flúor devem ser introduzidos na higiene bucal da criança a partir dos três ou quatro anos de idade, quando ela aprende a cuspir.

A especialista destaca, ainda, que os pais não devem compartilhar copos, talheres, escovas de dente ou ter contato próximo à boca do filho, pois podem transmitir bactérias prejudiciais ao bebê. “Essas atitudes evitam a transmissão precoce de bactérias cariogênicas ou de patógenos periodontais, consequentemente, diminui o risco do desenvolvimento dessas doenças no futuro”, concluiu.

Fonte: Estilo Press. Release. 01 de julho de 2010.

Copyright © 2010 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: