Publicidade

Notícias de saúde

Estudo indica que falta de sono pode cumprir papel no desenvolvimento de Alzheimer

25 de setembro de 2009 (Bibliomed). Um estudo realizado por cientistas americanos com ratos sugere que a falta de sono pode aumentar o risco de desenvolver a doença de Alzheimer. Publicados na revista científica Science, os resultados mostraram um aumento nos níveis de amiloide no cérebro – cujo acúmulo é associado à doença – quando os roedores estavam acordados e uma queda enquanto dormiam, indicando que o sono cumpriria um papel no desenvolvimento da condição.

Os pesquisadores avaliaram os níveis de amiloide-beta em ratos geneticamente modificados para desenvolver uma versão da doença de Alzheimer. Ao injetarem orexina – um composto que regula o sono – no cérebro das cobaias, os cientistas observaram que elas ficavam acordadas por mais tempo, e os níveis de amiloide aumentavam. Por outro lado, o bloqueio do composto foi associado a uma queda nos níveis da proteína ligada à doença.

Apesar de décadas de estudo, ainda não há armas eficazes contra a doença neurodegenerativa que afetará cerca de 35 milhões de pessoas no mundo em 2010. Por isso, apesar de mais estudos serem necessários para confirmação, os pesquisadores estão animados com a possibilidade de que drogas que afetem a orexina sejam úteis como tratamento da doença de Alzheimer.

De acordo com os autores, o estudo também reforça a necessidade de se tratar os distúrbios de sono, não apenas porque causam problemas imediatos, mas também pelos seus impactos em longo-prazo para a saúde do cérebro.

Fonte: Science. 11 de setembro de 2009.

Copyright © 2009 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: