Publicidade

Notícias de saúde

Menopausa, hormônio e câncer de mama.

15 de janeiro de 2007 (Bibliomed). A menopausa é a última menstruação da mulher, e encerra seu período fértil. O período em que a mulher convive com alterações e irregularidades menstruais, até culminar na menopausa, é conhecido como climatério.

O climatério é uma fase de profundas modificações no corpo da mulher. Tais modificações são resultantes de uma menor produção de hormônios pelos ovários, dentre outras causas. Algumas mulheres apresentam sintomas intensos no período de climatério, como ondas de calor, dores de cabeça, redução do apetite sexual. Estes sintomas são muitas vezes controlados com o uso de terapia de reposição hormonal (TRH). Porém, o uso de hormônios na pré-menopausa não é isento de riscos.

Um grupo de pesquisadores finlandeses publicou um estudo na revista Obstetrics & Gynecology, com o intuito de verificar os riscos associados ao uso de terapia de reposição hormonal apenas com estrogênio. Foi verificada a ocorrência de câncer de mama nas mulheres que optaram pelo uso desta terapia.

O estudo contou com a participação de mulheres com idade superior a 50 anos, as quais foram divididas em três grupos, conforme o tipo de reposição hormonal que utilizaram: estrogênio transdérmico (adesivo de pele), estrogênio via oral (comprimidos) ou estrogênio por via vaginal.

Os resultados do estudo demonstraram que as mulheres que utilizaram o estrogênio isoladamente, na reposição hormonal, independentemente da via, por períodos inferiores a cinco anos, não tiveram maior risco de desenvolver câncer de mama, em relação a população geral.

Por sua vez, as mulheres que fizeram reposição hormonal com estrogênio isoladamente, por períodos superiores a cinco anos, apresentaram risco aumentado de desenvolver o câncer mamário. Da mesma forma, o risco foi maior independentemente da via de utilização do estrogênio.

Com isso os autores concluíram que é seguro o uso de estrogênio na reposição hormonal, quando esta tem duração menor que cinco anos. Nas mulheres muito sintomáticas e que conseqüentemente necessitam de reposição por períodos mais prolongados, deve-se pesar o risco-benefício, do uso isolado do estrogênio.

Existem outras opções de reposição hormonal no climatério, como a que utiliza associação de progesterona com estrogênio. Estas outras opções devem ser discutidas com o médico, uma vez que também apresentam indicações precisas.

Fonte: Obstetrics & Gynecology 2006; 108: 1354 – 1360.

Copyright © 2007 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: