Publicidade

Notícias de saúde

Droga Pode Ajudar a Tratar Alcoolismo, Revela Estudo

CHICAGO (Reuters) - Um medicamento disponível no mercado pode reduzir a necessidade de beber entre pessoas geneticamente predispostas e ampliar o tratamento médico do alcoolismo.

A descoberta dos pesquisadores do Centro de Ciências da Saúde da Universidade do Texas, em San Antônio, foi divulgada na terça-feira no Journal da American Medical Association.

Os pacientes estudados, também chamados alcoólatras biológicos, começaram a beber na juventude em consequência de uma predisposição genética.

Conforme o chefe do estudo, Bankole Johnson, os alcoólatras precoces são cerca de um quarto dos alcoólatras. Geralmente, esses geralmente estão entre os de tratamento mais difícil porque começam a beber na juventude, desenvolvem caracaterísticas anti-sociais e são mais difíceis para tratar.

"Por décadas se soube que para alguns o alcoolismo ocorre na família e as anormalidades cerebrais podem ser transmitidas", disse Johnson.

O estudo do Texas envolveu 321 alcoólatras precoces entre 25 e 65 anos de idade, sendo que 70 por cento do grupo era formado por homens e 78 por cento, brancos.

Alguns receberam doses diárias de tabletes de 8 mg da droga enquanto outros receberam placebo (substância sem efeito).

Conforme os pesquisadores, a comparação entre os grupos mostrou que no grupo que recebeu a droga, a abstinência aumentou 40 por cento e a intensidade da ingestão diminui 39 por cento.

O ondansetron, vendido com o nome de Zofran (Glaxo Wellcome PLC), é usado contra vômitos depois de cirurgias e quimioterapia. Conforme os pesquisadores, a droga pareceu bloquear os receptores de serotonina no cérebro, diminuindo o desejo por álcool, que talvez seja consequência de um desequilíbrio químico cerebral.

Para Johnson, a droga reduz significativamente o consumo de álcool entre os alcoólatras biológicos, provavelmente porque corrige o desequilíbrio no sistema de serotonina do cérebro.

O pesquisador escreveu em um paper divulgado pela universidade que ao conhecer a base de funcionamento dos agentes de serotonina como tratamento para alcoolismo precoce é possível predizer que o alcoolismo não biológico também pode se beneficiar com um tratamento.

No futuro, o teste genético e os estudos de imagens do cérebro poderiam determinar os tipos específicos de agente de serotonina para o tratamento efetivo de qualquer tipo de alcoólatra e identificar quem possui maior risco de alcoolismo precoce antes de começarem a beber.

"Nosso objetivo nos próximos quatro ou cinco anos é identificar os tipos exatos de genes envolvidos", disse Johnson.

Conforme o estudo, a droga teve pouco ou nenhum efeito colateral e um importante benefício é que pode ser administrada a alcoólatras que ainda estão bebendo sem necessidade de desintoxicação.

Sinopse preparada por Reuters Health

Copyright © 2000 Reuters Limited. All rights reserved. Republication or redistribution of Reuters Limited content, including by framing or similar means, is expressly prohibited without the prior written consent of Reuters Limited. Reuters Limited shall not be liable for any errors or delays in the content, or for any actions taken in reliance thereon.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: