Publicidade

Notícias de saúde

Exercício intenso diminui risco de parto prematuro, diz estudo

06 de Dezembro de 2002 (Bibliomed). Fazer uma corrida leve, andar de bicicleta a velocidades que variam de moderada a rápida, praticar natação, dança aeróbica ou outra dança em ritmo mais acelerado nos primeiros dois terços da gestação pode ajudar a diminuir o risco de o bebê nascer antes do tempo normal, sugere um estudo norte-americano. Os pesquisadores da Universidade da Carolina do Norte, em Chapel Hill, entrevistaram 1.699 gestantes, que faziam acompanhamento pré-natal entre 1995 e 1998, para avaliar o tipo e a duração das atividades físicas vigorosas praticadas nos três meses anteriores à gestação e durante o primeiro e o segundo trimestres da gravidez.

Eles constataram que 22% das mulheres praticavam atividades físicas vigorosas antes da gestação, 14% mantiveram o hábito de fazer exercícios no primeiro trimestre e 8%, durante o segundo trimestre da gravidez. A metade daquelas que se exercitavam antes da gestação praticava atividades físicas durante pelo menos quatro horas por semana, e a metade das mulheres que faziam exercício durante a gravidez malhavam pelo menos três horas por semana.

A prática de atividade intensa anterior à gestação não alterou o risco de parto prematuro. Já entre as mulheres que se exercitaram durante o primeiro trimestre da gestação, o risco de ter parto prematuro foi 20% menor, e entre as que praticaram atividade física vigorosa no segundo trimestre da gravidez, 48% menor. Segundo o estudo, a prática de exercícios físicos intensos não influenciou a ocorrência de parto tardio (a partir da 42a semana de gestação).

Os pesquisadores ainda não sabem explicar porque os exercícios podem reduzir o risco de parto prematuro. “Para ampliar nosso estudo, precisamos fazer testes clínicos aleatórios nos quais possamos designar as mulheres a realizar atividades físicas estruturadas e controladas. Também podem existir outras razões que expliquem esses resultados, mas ainda é cedo para afirmar”, disse Kelly R. Evenson, chefe da equipe.

O parto prematuro (antes da 37a semana de gestação) é a principal causa de morte entre os recém-nascidos nos Estados Unidos e na Europa, e o principal fator que permite prever o risco dos recém-nascidos e as crianças desenvolverem doenças. Os resultados do estudo foram publicados na edição de novembro da revista Epidemiology.

Copyright © 2002 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: