Publicidade

Notícias de saúde

Fumar agrava problemas hepáticos em portadores de hepatite C

19 de Abril de 2002(Bibliomed). Pessoas que estão infectadas pelo vírus da hepatite C devem evitar fumar e beber, porque estes hábitos podem danificar ainda mais as células do fígado. Isto é o que dizem pesquisadores de Taiwan, em pesquisa publicada na revista médica Archives of Internal Medicine.

A hepatite C é uma doença causada por um vírus, transmitida por via sexual, contato com sangue ou derivados do sangue e outros fluidos corporais. A transmissão é semelhante à do HIV, só que o vírus da hepatite sobrevive muito mais tempo fora do corpo. Isto o torna ainda mais transmissível do que o HIV, já que ele pode estar vivo mesmo em uma gota de sangue ou esperma seco. Mais de 150 milhões de pessoas no mundo têm o vírus da hepatite C, e 20% delas irá desenvolver doença hepática grave, como cirrose ou câncer.

Os bancos de sangue submetem o sangue doado a exames para verificação da existência deste vírus para evitar a contaminação por transfusão, mas a via sexual é o que mais preocupa: se as pessoas continuam se contaminando com o HIV, também podem estar se contaminando com este vírus. Profissionais de saúde, como médicos, enfermeiros, técnicos de laboratório e outros, que em seu trabalho podem entrar em contato com sangue e outros fluidos de pessoas, também estão sob risco aumentado. Ao contrário da hepatite B, que também é transmitida da mesma forma, ainda não há vacina eficiente contra o vírus C.

Cerca de 80% das pessoas que são portadoras deste vírus não desenvolvem doença grave. Podem até mesmo não apresentar nenhum sintoma, mas o vírus pode estar vivo em seu sangue, pronto para entrar em ação. Algumas pessoas conseguem se livrar do vírus depois de infectadas, e existem alguns tratamentos que podem auxiliar a cura: mas ainda são caros e não estão disponíveis em todos os países. O mais comum é que a pessoa conviva com o vírus durante toda a vida, sem que ele cause grande mal, a não ser o risco de transmissão para outros.

O que este novo estudo mostra é que estas pessoas que são portadoras do vírus devem evitar fumar e beber, porque estes hábitos podem estimular o vírus a lesar seu fígado. Eles utilizaram um exame de sangue para verificar a quantidade de uma enzima presente no sangue que mede a lesão hepática.

Os pesquisadores mediram o nível desta enzima, chamada ALT ou TGO em 6.095 homens e mulheres que viviam em uma área onde sabidamente existia alta taxa de infecção pelo vírus da hepatite C e da hepatite B. Os participantes também preencheram questionários detalhados sobre seus hábitos de vida, principalmente consumo de álcool e fumo.

Eles verificaram que o consumo de álcool aumentou em mais de duas vezes o risco de apresentar níveis elevados de ALT em pessoas infectadas pelo vírus C, e o tabagismo quase dobrou o risco. Em pessoas infectadas pelo vírus B da hepatite não foi observada esta relação. E em pessoas que fumavam um maço de cigarros ou mais por dia e bebiam álcool com freqüência o risco de apresentar elevação no nível da enzima ALT foi sete vezes maior do que em pessoas que não fumavam nem bebiam.

O recado que este estudo dá é claro: pessoas que sabem que são portadoras do vírus C não devem fumar nem beber, para reduzir o risco de agravar seu problema hepático. Até agora não se havia relacionado o hábito de fumar com o risco de piora de doença hepática, mas os dados são muito fortes e não devem ser ignorados. A associação entre álcool e cigarro é ainda mais perigosa para o fígado, e deve ser fortemente evitada.

Copyright © 2002 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: