Publicidade

Notícias de saúde

Gravidez na adolescência cresce 391% em 18 anos

Belo Horizonte, 13 de Julho de 2001 (eHealthLA). As estatísticas de gravidez na adolescência no Brasil são assustadoras. Nos últimos 18 anos, o número de mães com idade entre 10 e 20 anos teve crescimento de 391%. Enquanto isso, no mesmo período, a população em geral aumentou apenas 42%.

A gravidade do problema também se reflete em outra estatística. Do total de mortes de jovens na fase reprodutiva, 30% são ocasionadas por aborto séptico (provocado). Além do aborto, a gravidez em jovens pode acarretar sérias conseqüências. As mais freqüentes são abandono do filho, casamento forçado ou interrupção dos estudos ou do trabalho.

Entre os fatores que contribuem para a alta incidência de gravidez entre jovens estão a maturação biológica precoce – que acaba antecipando o início da atividade sexual –, a ausência de um projeto de vida, o consumo de álcool e drogas, além da erotização promovida pela mídia, entre outros.

Entretanto, a falta de informação ainda é o pior problema. Sabe-se que a gravidez em jovens pode ser evitada com educação sexual, que deve ser iniciada em casa e completada na escola. Outro problema é que, além da falta de informação, muito pouco do conhecimento que se tem é colocado em prática. Apesar da incidência de Aids ainda ser pequena entre as adolescentes, os índices de uso de preservativos também são muitos baixos em todo o País.

Copyright © 2001 eHealth Latin America

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: