Publicidade

Notícias de saúde

Cigarro mata 10 brasileiros por hora

São Paulo, 29 de Maio de 2001 (eHealthLA). Anote: quinta-feira próxima, 31, é o Dia Mundial sem Tabaco que a Organização Mundial da Saúde (OMS) promove.

Se você ainda tem algum motivo para não aderir preste atenção neste dado fornecido pelo Instituto Nacional do Câncer: no Brasil morrem 10 pessoas por hora por doenças relacionadas ao fumo.

De acordo com a própria OMS, o tabagismo é considerado grave ameaça à saúde pública, porque além de agir diretamente sobre o fumante, atinge pessoas de sua convivência, o chamado fumante passivo, provoca doenças e faltas ao serviço impactando na economia e, na outra ponta, agride brutalmente o meio ambiente também.

No mundo existem, aproximadamente, 1,1 bilhão de fumantes que, unidos, geram uma perda econômica de US$ 200 bilhões anuais, segundo estimativas do Banco Mundial (Bird).

Morrem quatro milhões de pessoas por ano, no mundo, em decorrência de várias enfermidades, como infecções respiratórias, câncer de pulmão e vários outros tipos de câncer como o de boca, laringe, faringe, esôfago, estômago, pâncreas, rins, bexiga e colo de útero.

Segundo estatísticas do INCA, 90% das mortes por câncer de pulmão têm como causa o cigarro; 30% das mortes por câncer, em geral, são causadas pelo cigarro: 25% das mortes por doenças cerebrovasculares também têm como vilão o cigarro.

PASSIVOS – Para quem é obrigado a conviver com fumantes, um alerta: é cientificamente comprovado que o fumante passivo também absorve (em quantidades menores que o ativo, é verdade, mas também absorve) níveis expressivos de nicotina, de monóxido de carbono e outras substâncias, podendo ser acometido de hipertensão, problemas cardíacos e angina (dores no peito), arteriosclerose e infecções respiratórias.

O fumante passivo, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer, morre duas vezes mais que as pessoas não expostas ao cigarro.

CAOS AMBIENTAL - No Brasil cerca de 18% da população é tabagista. Essa massa de 30 milhões de pessoas estimula a indústria fumageira local a cortar mais de 40 milhões de árvores, por ano, com danos irreparáveis ao meio ambiente.

Primeiro, porque é necessário derrubar uma árvore para cada 300 cigarros produzidos. Estas vão servir no processo de secagem das folhas.

E ainda que a indústria utilize a expressão “reflorestamento”, isso na prática não acontece, porque normalmente o chamado reflorestamento utiliza o eucalipto – árvore originária da Austrália, e por não ser nativa prejudica o solo.

Nesse caso, ela extrai cinco vezes mais água do solo que a planta nativa, além de não repor a variedade da flora, que implicará em desaparecimento endêmico da fauna e, por consequência, desequilíbrio de alguns ecossistemas. Assim, vai se deteriorando a saúde de todo o planeta.

PARAR DE FUMAR – Há vários tratamentos para se parar de fumar. Basicamente todos excluem do cardápio bebidas alcoólicas, comidas com temperos carregados e diminuem consumo de carne e alimentos gordurosos, substituindo por verduras, legumes e frutas e, acima de tudo, água, muita água para ajudar a desintoxicar o organismo.

Agora se você pensa em largar o cigarro e ainda acha difícil, releia a matéria. Determine-se a viver melhor. Com esforço próprio você consegue – palavra deste redator, um ex-fumante absolutamente convicto.

Copyright © 2001 eHealth Latin America

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: