Publicidade

Notícias de saúde

Qualidade de Ar em Aviões Será Avaliada nos EUA

08 de Janeiro de 2001 (Bibliomed). Uma avaliação independente da qualidade do ar em aviões comerciais levantou vôo na quarta-feira com a alegação de que os fluidos de refrigeração, fumaça do motor e outros poluentes podem apresentar riscos à saúde das pessoas que estão a bordo.

A avaliação da Academia Nacional de Ciências (NAS, sigla para National Academy of Sciences) foi solicitada pelo Congresso em resposta a reclamações de grupos de comissários de bordo sindicalizados que ficam muitas horas no avião e alegam que o ar que respiram no trabalho pode deixá-los doentes.

"É um problema de saúde pública que não está sendo tratado", disse Christopher Witkowski, diretor de saúde e segurança da Associação de Comissários de Vôo (AFA, sigla para Association of Flight Attendants). A entidade representa mais de 40 mil comissários de mais de 25 companhias aéreas.

Com a proibição do cigarro em todos os vôos das companhias norte-americanas, as reivindicações nos últimos anos se voltaram para outros temas sobre a qualidade do ar a bordo como a baixa umidade, vedação ou lotação e possibilidade de transmissão de viroses através do sistema de reaproveitamento de ar.

Alguns problemas de saúde citados pelos comissários incluem dor de cabeça, náuseas e problemas com o equilíbrio. Existem estudos em andamento para determinar se a saúde reprodutiva é afetada pela qualidade de ar na cabine.

A Agência Federal de Aviação (FAA, sigla para Federal Aviation Administration) informou que a qualidade do ar no avião tem melhorado ao longo dos anos e a entidade está "procurando avançar" na identificação de qualquer elemento que possa "apresentar riscos" para requerer regulamentação.

A Academia de Ciências vai requisitar dados sobre contaminação de aviões da FAA e outras organizações de saúde e ambientais para avaliar possíveis propostas de melhora da qualidade do ar.

O estudo incluindo as recomendações deve ser concluído em setembro. A Academia não tem autoridade para criar regulamentos.

Judith Murawski, higienista industrial que trabalha para a Associação de Comissários, disse à Academia em audiência pública na quarta-feira que o óleo lubrificante das partes móveis pode esquentar e emitir gases que podem vazar para o suprimento de ar.

Olney Anthony, um pesquisador de segurança do ar que trabalha para a Associação Internacional de Mecânicos e Trabalhadores Aeroespaciais, disse que os fluidos de refrigeração e outras substâncias químicas "podem encontrar um caminho próprio" no sistema que fornece ar à cabine. Isto não significa que essas substâncias não sejam filtradas antes de atingir o compartimento.

Copyright © 2001 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: