Publicidade

Notícias de saúde

Mulher Mantinha Mais de Mil Ratos em Casa na África do Sul

04 de Janeiro de 2001 (Bibliomed). Uma mulher sul-africana que mantinha mais de mil ratos em casa foi levada para ficar sob observação psiquiátrica na quarta-feira, enquanto os roedores eram exterminados, disse a polícia.

Autoridades da área de saúde da cidade e policiais ficaram impressionados com a devastação causada pelas centenas de ratos provavelmente levados de um laboratório por Gwynneth Quick, de 39 anos.

"Eu nunca tinha visto uma cena como essa em toda a minha carreira", disse a porta-voz da polícia Amanda Hattingh.

"A casa estava cheia de ratos. Os rodapés estavam comidos, os carpetes estavam comidos, havia buracos em todos os móveis e mesmo nos pisos de madeira. Havia mais de mil deles na casa", disse Hattingh à Reuters.

Hattingh disse que Gwynneth Quick havia levado os ratos do laboratório de farmacologia da Universidade Stellenbosch, onde ela trabalhou até setembro. A universidade, no entanto, negou que a mulher tenha levado os animais de seu laboratório.

"Ela disse que não suportava ver ratos serem mortos e o modo como eles eram tratados", disse Hattingh.

"Ela tinha nomes para os ratos e eles realmente pareciam escutar quando ela falava com eles. Eram como seus filhos."

Os ratos, no entanto, morderam Quick quando a polícia e as autoridades de saúde estavam na casa, acrescentou.

Quick e seu namorado dormiam em um colchão em um quarto em que apenas um rato podia entrar.

Autoridades de saúde cobriram a casa com uma lona e jogaram pesticida.

Rowland Rumbelow, autoridade de saúde ambiental, disse que matar os ratos por meio de gás foi rápido. "Ele ataca o sistema nervoso dos ratos e causa paralisia. Não é uma morte dolorosa, pelo que sabemos."

Copyright © 2001 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: