Publicidade

Notícias de saúde

Brasil: Verão é Época de Bichos Geográficos: A Micose da Praia

São Paulo, 3 de Janeiro de 2001(eHLA). No verão, os riscos de sair da praia com algum tipo de micose são altos. A areia é um ambiente propício para a proliferação de vários fungos. A larva migrans, conhecida como bicho geográfico, é uma doença causada por parasitas intestinais do cão e do gato. Ao defecar na terra ou areia, os ovos eliminados nas fezes transformam-se em larvas. Estas penetram na pele do homem causando a doença.

Por estar em pele humana, a larva não consegue se aprofundar para atingir o intestino (o que ocorreria no cão e no gato), e caminha sob a pele formando um túnel tortuoso e avermelhado. Um único passeio com o cachorro na praia, pode deixar nas areias centenas de ovos. Estes logo viram mais larvas, que adoram penetrar na pele dos banhistas.

Segundo a dermatologista Juliana Resende, de São Paulo, este tipo de micose é mais comum em crianças e as lesões são geralmente acompanhadas de muita coceira. “É mais comum naquelas partes do corpo que tocam o chão, ou seja, os pés e as nádegas. Nas crianças, claro, o corpo inteiro acaba virando zona de risco”, explica a médica. Pode ocorrer como lesão única ou múltipla. Devido ao ato de coçar é freqüente a infecção secundária das lesões.

O tratamento consiste em matar a larva com uma pomada específica, aplicada por vários dias. Se existem mais larvas no corpo, porém, o paciente deverá tomar também remédios por via oral. A melhor proteção é nunca dispensar a toalha na hora de se sentar na areia da praia, evitar ficar perto de esgotos e evitar praias onde haja muitos gatos e cachorros. "O ideal, seria não levar animais para a praia" diz a dermatologista.

Copyright © 2000 eHealth Latin America

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: