Publicidade

Notícias de saúde

Mutação do Vírus da Pólio Pode Ser Causa de Surto no Caribe

Por Merritt McKinney

NOVA YORK (Reuters Health)
- Um surto recente de 14 casos de poliomielite na República Dominicana e no Haiti parece ter ocorrido devido a uma versão mutante do vírus usado na vacina oral contra a pólio, de acordo com a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas).

A vacina oral contra a pólio contém um vírus enfraquecido e é muito eficaz na proteção contra a doença. Mas, em áreas onde as taxas de vacinação são baixas, o vírus pode circular na população.

Nesse caso, o vírus parece ganhar tempo para sofrer mutação e readquire sua capacidade de causar a doença.

Cepas agressivas do vírus da poliomielite não circulavam no ocidente desde 1991.

Essa é a segunda vez em que um surto como esse ocorre. O primeiro aconteceu no Egito, onde um vírus semelhante ao da vacina circulou na população entre 1983 e 1993, causando 30 casos da doença.

Para combater o surto, a República Dominicana e o Haiti estão lançando uma campanha de imunização massiva usando a vacina oral contra a poliomielite.

Todos os 14 casos ocorreram em pessoas que não foram vacinadas ou que receberam a vacina parcialmente.

O surto está concentrado em uma região pobre da República Dominicana, onde a cobertura de vacina -- a porcentagem da população que recebeu imunização completa -- é baixa, disse Socorro Gross, representante da Opas e da Organização Mundial de Saúde (OMS) no país, à Reuters Health.

Essa baixa cobertura pode ter permitido que o vírus circulasse e sofresse mutações nos últimos dois anos, afirmou Gross. Dos 18 casos suspeitos, 14 são "clinicamente compatíveis" com a pólio.

Um caso confirmado em laboratório ocorreu no Haiti. Os dois países dividem a Ilha Hispaniola.

De acordo com Gross, as autoridades da República Dominicana já tomaram as primeiras medidas para controlar o surto imunizando a população na cidade e na área próxima onde todos os casos ocorreram, com exceção de um caso.

Na sexta-feira, todas as crianças com menos de 5 anos da República Dominicana -- cerca de 1,2 milhão de crianças -- vão receber a primeira dose da vacina oral contra a pólio, afirmou Gross. As segunda e terceira doses serão dadas em fevereiro e abril de 2001, segundo Gross.

As autoridades esperam atingir pelo menos uma cobertura de 85 por cento em cada uma das três etapas de vacinação, disse Gross. A representante da Opas disse que um esforço similar terá início em janeiro de 2001 no Haiti.

De acordo com a Opas, pessoas que estão viajando para a República Dominicana e o Haiti devem "se certificar que foram completamente imunizados contra a pólio".

O surto recente mostra que os programas de vacinação não devem ser abandonados quando a pólio for erradicada ou eliminada em um país, destacou Gross. O último caso relatado de pólio na República Dominicana ocorreu em 1985, de acordo com Gross.

D. A. Henderson, autoridade da Opas que liderou o programa de erradicação global da varíola, concordou com o fato de que nenhum país deve baixar as armas contra a poliomielite.

"A lição é clara", afirmou Henderson em um comunicado da Opas. "Devemos manter a cobertura de vacinação alta até atingir o ponto zero para deter a transmissão da pólio, devemos desenvolver estudos e devemos manter todas as pessoas atualizadas sobre a situação", disse Henderson.

De 1988 a 1999, casos mundiais de poliomielite caíram 95 por cento, de 350.000 para 7.094 devido ao uso disseminado da vacina contra pólio.

Sinopse preparada por Reuters Health

Copyright © 2000 Reuters Limited. All rights reserved. Republication or redistribution of Reuters Limited content, including by framing or similar means, is expressly prohibited without the prior written consent of Reuters Limited.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: