Publicidade

Notícias de saúde

Coreanos Vivendo nos EUA Estão Sob Maior Risco de Pressão Alta

Por Will Boggs

NOVA YORK (Reuters Health) - Norte-americanos de origem coreana são muito mais propensos a ter pressão arterial alta que outros norte-americanos ou seus conterrâneos que vivem na Coréia, informaram pesquisadores.

No primeiro esforço sistemático em mais de uma década para determinar as taxas de pressão sanguínea entre norte-americanos de origem coreana, os pesquisadores estudaram 761 pessoas com essa característica entre 18 e 89 anos de idade.

Quase um terço dos participantes do estudo (35 por cento dos homens e 30 por cento das mulheres) tinha pressão alta -- uma taxa muito mais alta que a verificada entre os coreanos que vivem na Coréia (22 por cento) e outros norte-americanos (24 por cento).

As taxas foram ainda mais altas mesmo entre norte-americanos de origem coreana com 50 anos de idade ou mais -- 53 por cento deste grupo tinha pressão sanguínea alta (hipertensão).

"Apesar da emergência das doenças coronarianas como um problema importante de saúde deste grupo, poucos estudos examinaram a taxa de fatores de risco importantes para doença coronariana, como pressão sanguínea elevada, neste grupo étnico", informou a equipe de Miyong Kim, da Universidade Johns Hopkins, em Baltimore (Maryland).

As taxas de pressão arterial foram mais elevadas entre as pessoas que tinham menor nível educacional e que falavam inglês com dificuldade, indicou o trabalho. Os fatores de risco tradicionais -- idade, história familiar, obesidade e nível de exercício -- também influenciaram as taxas de hipertensão neste grupo.

O risco mais alto entre coreanos vivendo nos EUA que seus conterrâneos que vivem na Coréia sugere uma influência do estresse provocado pelo ajuste a uma nova cultura, conforme o trabalho.

"Um fator de risco notável entre coreanos que vivem nos Estados Unidos está relacionado a mudanças nos padrões de dieta depois da imigração para o país", disse Kim à Reuters Health.

"Muitos norte-americanos de origem coreana durante o processo de aculturação aumentam o consumo de proteína animal, gordura e açúcar refinado. Ao mesmo tempo, continuam comendo alimentos tradicionais que são ricos em sal (por exemplo, vegetais em conserva, soja e outros temperos ricos em sódio). Esta combinação de dieta de duas culturas pode ser prejudicial a pessoas com ou em risco de hipertensão", disse o pesquisador.

Kim recomenda que mais esforços sejam feitos para reduzir a pressão arterial alta nesse grupo étnico que cresce rapidamente.

"Este é um grupo muito silencioso que não está utilizando as instituições de saúde adequadamente", disse Kim. "Deveria ser dada mais atenção para pesquisas baseadas nas comunidades e na educação para ajustar suas necessidades culturais específicas", avaliou o especialista.

Sinopse preparada por Reuters Health

Copyright © 2000 Reuters Limited. All rights reserved. Republication or redistribution of Reuters Limited content, including by framing or similar means, is expressly prohibited without the prior written consent of Reuters Limited.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: