Publicidade

Notícias de saúde

Consumo excessivo de álcool na adolescência pode afetar a saúde óssea em adolescentes

18 de julho de 2018 (Bibliomed). O consumo excessivo de álcool na adolescência pode impedir que as meninas atinjam o pico de massa óssea (PMO), de acordo com um estudo publicado no Journal of Studies on Alcohol and Drugs.

Pesquisadores americanos avaliaram a associação entre os episódios do alcoolismo e a falha em atingir o PMO entre 87 estudantes universitárias do sexo feminino. O alcoolismo excessivo foi definido como pelo menos quatro bebidas dentro de duas horas em 115 ou mais ocasiões desde o início do ensino médio.

Os pesquisadores descobriram que o alcoolismo excessivo frequente estava associado à diminuição da densidade mineral óssea (DMO), mesmo quando se controlava as variáveis ​​mais comumente associadas à saúde óssea, como massa magra, atividade física, idade da menarca, tabagismo e uso de contraceptivos orais. Não houve associação entre início precoce do alcoolismo excessivo (início do alcoolismo excessivo  com idade igual ou inferior a 15 anos) e a DMO.

Os resultados sugerem que a frequência de alcoolismo excessivo antes de atingir PMO, mas não o início do alcoolismo excessivo, pode estar negativamente relacionado à saúde esquelética durante a idade adulta jovem.

Fonte: Journal of Studies on Alcohol and Drugs. 79(3), 391–398 (2018).

Copyright © 2018 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: