Depressão infanto-juvenil nem sempre é identificada

Comentar

Comportamento

destaque_violenciaPesquisa do Hospital Infantil da Filadélfia, nos Estados Unidos, mostrou que a depressão em crianças e adolescente nem sempre é identificada. O mais assustador desse resultado é que 8% desses jovens entrevistados afirmam ter pensado em suicídio em algum momento da vida, e apenas metade dos pais estavam cientes disso.

O estudo incluiu mais de 5.000 crianças, com idades entre 11 e 17 anos, e um pai para cada criança. Quando questionados, cerca de 8% dos pais disseram que a criança já havia pensado em suicídio. Quase metade do tempo, a criança negou.

No geral, cerca de 9% das meninas e 7% dos meninos disseram ter pensado em suicídio. Apenas metade dos pais estava ciente disso. Enquanto isso, pouco mais de 15% dos meninos e meninas disseram que pensavam sobre a morte com frequência. Os pais não sabiam cerca de três quartos do tempo. Depois, houve os casos em que os pais acreditavam que seus filhos haviam contemplado o suicídio, mas a criança negou.

Tudo aponta para um “desacordo bastante substancial” entre os relatórios de pais e filhos. Nos casos em que os pais não estão cientes dos problemas de seus filhos, uma razão pode ser simplesmente que os sinais não eram óbvios.  Contudo, isso não quer dizer que não haja sinais de alerta de risco de suicídio.

Alguns desses sinais, de acordo com a Fundação Americana para a Prevenção do Suicídio, incluem afastamento de amigos, familiares e atividades; alterações no sono, como dormir demais ou pouco; comportamento irritável ou agressivo; e doação de bens.

Ainda assim, pode ser difícil para os pais discernirem quando seus filhos estão tendo pensamentos suicidas, e mesmo quando os sinais estão lá, as mentes dos pais podem resistir à possibilidade, não querendo reconhecer o problema, porque é assustador. É por isso que é importante rastrear crianças em busca de depressão e risco de suicídio e orientar as famílias.

A depressão é um importante fator de risco para o suicídio – e até 20% dos adolescentes sofrem de depressão em algum momento, de acordo com a Academia Americana de Pediatria (AAP). No início deste ano, a AAP publicou diretrizes atualizadas solicitando pediatras para rotineiramente rastrear adolescentes com 12 anos ou mais para depressão, usando questionários padrão durante exames anuais.

Para identificar aqueles que estão em risco de suicídio, a triagem precisa perguntar especificamente sobre isso. Os pesquisadores ressaltam que nem todas as crianças deprimidas pensam em suicídio, e as que são suicidas nem sempre têm depressão.

Fonte: Pediatrics, 14 de janeiro de 2019.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>