Publicidade

Artigos de saúde

Como prevenir e tratar o envelhecimento da pele em cada fase da vida


Por Núcleo de Estética Médica e Emagrecimento
contato@clinicaeme.com.br

Aos 20 anos a pele é luminosa, sem marcas de expressão, podendo apresentar, em alguns casos, cravos e espinhas. Na década seguinte, aparecem manchas, rugas e linhas finas. Esse processo de envelhecimento se intensifica aos 40, com a redução do colágeno, que dá sustentação e elasticidade à pele. Aos 50, a pele fica flácida e opaca e a partir dos 60, a flacidez acentua-se ainda mais. Para cada fase da vida, as características da pele são diferentes e devem ser tratadas de maneiras específicas.

Entretanto, certos cuidados básicos são fundamentais para todos os tipos de pele independente da idade. O primeiro deles é a limpeza com um sabonete suave que remova somente a sujeira e preserve a função de barreira da pele. O segundo cuidado é hidratar, porque a água é essencial para que a tonicidade da pele se mantenha. Antioxidantes são essenciais para o combate dos radicais livres que são gerados a todo momento. O terceiro é a fotoproteção : o uso de protetores e bloqueadores solares é indicado mesmo para os dias nublados, independente da exposição direta ao sol e deve ser renovado a cada 3 horas.

Aos 20 anos: prevenção é a palavra chave para este tipo de pele. Por isso, tenha sempre a mão produtos que contemplem hidratação, fotoproteção e um sistema antioxidante efetivo para as agressões externas, à base de vitamina C.

A partir dos 30 anos: na idade em que começam a surgir as primeiras rugas e linhas de expressão, os ativos mais recomendados são o ácido retinóico ( induz a formação de colágeno, dá firmeza à pele, melhora o aspecto de manchas e reduz os poros) ; ácido glicólico ( derivado da cana de açúcar, ele atua aumentando a estrutura da epiderme, da derme e do colágeno, melhorando a textura e coloração da pele e diminuindo as rugas) ; adapaleno, ( derivado do retinóide, tem o poder de combater os sinais de envelhecimento especialmente em peles anteriormente susceptíveis à acne)

A partir dos 40 anos: Além dos ácidos já mencionados, que ajudam a estimular colágeno e melhoram a textura da pele, recomenda-se o uso de ativos clareadores que vão dar um aspecto mais jovem à pele através da produção de colágeno novo. Bons exemplos são: idebenona ( variação da coenzima Q10, que tem efeitos anti-oxidante, controla radicais livres e retarda o envelhecimento cutâneo) ; ácido kójico ( substância produzida por um cogumelo japonês chamado Koji, tem efeito despigmentante e ação anti­oxidante, ajudando na prevenção do envelhecimento da pele) e hidroquinona ( inibe a a ação da tirosinase, uma enzima relacionada à produção de melanina). Outra boa opção para a fase d é a utilização de estimuladores de colágeno com a injeção de ácido polilático e hidroxiapatita de cálcio, que restauram um pouco do volume perdido e deixam a pele um pouco mais firme.

A partir dos 50 anos: no período da menopausa, além de flacidez acentuada e rugas marcadas, a pele fica opaca e sem brilho. Deve-se priorizar produtos à a base de ácido hialurônico, com ativos para a flacidez. Cremes com isoflavona são indicados, pois diminuem o efeito do hormônio estrógeno. Produtos com ativos tensores como tensine, instensyl e liftline são essenciais para diminuir a flacidez. A utilização do laser luz pulsada, radiofrequência, laser CO2 fracionado, peelings químicos e a cirurgia plástica de lifting facial também podem ser indicados. A reposição hormonal também contribui para a renovação da beleza da pele.

Acima dos 60 anos: com a flacidez ainda mais acentuada e a pele com aspecto de casca de maracujá, os ativos recomendados são semelhantes aos da faixa etária anterior, com maior poder de hidratação.

Publicado em 13 de julho de 2012.



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: