Publicidade

Artigos de saúde

Distúrbios Visuais

Neste artigo:

- Como funciona a visão
- Erros de refração
- Miopia
- Hipermetropia
- Astigmatismo
- Presbiopia
- Considerações finais

"O olho é a janela do corpo humano pela qual ele abre os caminhos e se deleita com a beleza do mundo" (Leonardo da Vince). A visão é certamente um dos sentidos mais nobre, graças a ela temos contato com mundo exterior. A visão exerce importante papel na nossa vida, e nos damos conta disso principalmente quando ocorre alguma alteração que afete o perfeito funcionamento dos nossos olhos."

Como funciona a visão

Os olhos são constituídos por várias estruturas que juntas conectam o mundo exterior com o nosso interior, captando as imagens e movimentos e levando as informações até o cérebro.

A córnea é a superfície de maior refração do olho e se ajusta com a esclera (o "branco do olho") como um vidro de relógio. O cristalino é uma lente transparente situada atrás da íris (a parte colorida do olho), ele modifica sua forma para dar maior nitidez à visão (acomodação visual). O cristalino age junto com a córnea, fazendo a refração dos raios luminosos. A córnea é uma lenta fixa, já o cristalino tem curvatura variável, podendo se tornar mais delgado ou mais curvo, levando a imagem mais para trás ou mais para frente e permitindo que ela se projete sobre a retina. O músculo ciliar é um pequeno músculo que sustenta o cristalino e altera a sua forma para gerar a acomodação visual. Essa propriedade possibilita focalizar objetos localizados a diferentes distâncias dos olhos. A retina é a camada mais interna do olho, formada por receptores especiais sensíveis à luz que transformam os estímulos luminosos em estímulos nervosos que são levados até o cérebro pelo nervo óptico. A mácula é a região central da retina, responsável pela visão de detalhes, como a leitura.

Cada olho recebe e envia ao cérebro uma imagem, no entanto, vemos os objetos como um só, devido à capacidade de fusão das imagens. A visão binocular (com os dois olhos) nos dá um maior campo visual e noção de profundidade.

Erros de refração

A visão nítida ocorre quando a imagem é projetada exatamente sobre a retina (emetropia). Se a imagem se formar antes ou depois dela, o que se vê é uma imagem desfocada.

Os erros de refração são alterações onde as imagens não se formam com o seu foco na retina; por alteração das estruturas (como a córnea ou o cristalino) ou pelo tamanho do olho (grande ou pequeno), resultando em uma visão borrada, sem nitidez.

Miopia

Na miopia, os olhos podem ver os objetos que estão perto, mas não é capaz de ver nitidamente os objetos que estão longe.

A miopia pode ser de dois tipos: de campo, quando o olho é mais alongado, ou de curva, quando a curvatura da córnea é muito acentuada. Devido a curva elevada da córnea ou o formato longo do olho, as imagens são focalizadas antes da retina. A miopia tem tendência familiar e geralmente aumenta durante a fase de crescimento.

A correção da miopia pode ser feita com uso de óculos ou lentes de contato através de lentes negativas ou divergentes. A cirurgia refratária procura modificar a curvatura da córnea, através de cortes radiais rigorosamente determinados. Com a cicatrização, a córnea se retrai e altera a sua curvatura, permitindo a formação da imagem sobre a retina.

Hipermetropia

A hipermetropia é o contrário da miopia. Nesta situação o olho é geralmente menor que o normal no plano horizontal ou a curvatura da córnea é muito pequena e a imagem se forma depois da retina. A visão de objetos próximos aos olhos é mais afetada nas pessoas hipermetrópicas, mas também pode atingir a visão de longe.

As crianças pequenas normalmente são moderadamente hipermétropes, condição que diminui com a idade.

Para a correção da hipermetropia são utilizados lentes convergentes, também conhecidas como positivas, através de óculos ou lentes de contato.

Astigmatismo

O astigmatismo é causado geralmente por irregularidade da córnea, e seu efeito é a distorção da imagem. O astigmatismo pode ser miópico ou hipermetrópico (simples) ou misto.

O astigmatismo miópico impede a visão nítida para longe e para perto, mas as pessoas sentem mais falta de lentes corretoras para visualizar objetos luminosos no escuro, como dirigir a noite, assistir televisão, cinema, etc. Geralmente o astigmatismo é provocado pela curvatura vertical da córnea ser mais acentuada do que a curvatura horizontal. Isso faz com que as imagens sejam focalizadas antes da retina apenas em um plano vertical sendo que no plano horizontal a focalização ocorre na retina. A correção é feita com lentes negativas apenas no meridiano vertical.

O astigmatismo hipermétrico é uma deficiência de visão que também ocorre em um dos meridianos. Ao contrário do miópico, a imagem se focaliza atrás da retina num plano e no outro focaliza exatamente na retina. Ele corrigido com lentes plano-cilíndricas positivas.

Quando numa direção as imagens são focalizadas antes da retina e na direção oposta são focalizadas atrás da retina ocorre o astigmatismo misto. Ele é misto porque precisa de lentes corretoras que tenham um meridiano positivo e outro negativo.

Existem também algumas técnicas cirúrgicas para reduzir grandes astigmatismos, semelhantes as da cirurgia para miopia.

Presbiopia

A presbiopia, também conhecida como vista cansada, ocorre quando o cristalino perde aos poucos sua elasticidade, acompanhando o envelhecimento. Com isso o olho fica incapaz de acomodar-se, ou seja, não consegue focalizar os objetos próximos aos olhos, dificultando a leitura, costura, etc.

Ela ocorre na grande maioria das pessoas, geralmente após os 42 anos de idade. O cristalino começa a perder seu poder de acomodação para perto a partir dos 30 anos, porém ainda pode ser contornado. Quando passa dos 40 anos, a pessoa começa a distanciar as pequenas letras para vê-las nitidamente, até que necessita de óculos para ver de perto. A presbiopia cresce tanto, até os 65 anos, que chega a atingir a visão para longe. A sua progressão varia de pessoa para pessoa e de acordo com a atividade.

O uso de óculos para perto passa a ser necessário em quem antes enxergava bem. As pessoas que já utilizavam óculos passam a precisar de lentes diferentes para longe e para perto e podem usar óculos bifocal ou multifocal (para longe e para perto). Para correção, utiliza-se lentes esféricas positivas ou convergentes.

Considerações finais

Não deixe de visitar o oftalmologista quando perceber alguma dificuldade na sua visão. O uso das lentes corretoras (óculos ou lentes de contato) não fará com que o seu grau aumente, como alguns erroneamente imaginam, pelo contrário, o fará ver o mundo com mais nitidez.

O mesmo vale para as crianças, não há porque ter pena de uma criança que usa óculos, e sim daquelas que necessitam e não usam.

Copyright © 2012 Bibliomed, Inc.    Publicado em 07 de Julho de 2011    Revisado em 10 de setembro de 2012



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: