Publicidade

Artigos de saúde

Yoga: mais saúde e longevidade

Neste Artigo:

- O Que é Yoga
- A Yoga Hoje
- Power Yoga: Uma Derivação Brasileira
- Os Riscos da "Ocidentalização"
- Ayurveda: A Mãe da Medicina
- Contraponto: O Risco é Substituir a Medicina pela Filosofia

"Prática milenar, surgida na Índia, o Yoga vem ganhando mais e mais adeptos em tudo o mundo, através de suas diferentes correntes e linhas. Há autores e praticantes que o consideram como uma filosofia capaz de substituir a medicina - idéia frontalmente combatida pelos cientistas. Neste artigo estão descritas algumas dessas teorias, assim como alguns contrapontos, como por exemplo, da Psicologia."

O Que é Yoga

O Yoga é um sistema místico-filosófico indiano milenar, sistematizado por Patanjali, sábio indiano, em sua obra clássica Yoga Sutras, composta por 185 aforismos.

A palavra yoga deriva da raiz sânscrita "yuj" que significa unir, atar, juntar. O ser humano, em sua ignorância, acredita ter uma existência separada do Ser Supremo. O Yoga ensina os meios pelos quais o homem alcança finalmente a compreensão de que sempre esteve unido ao Ser Supremo, conquistando, assim, a sua liberação. O Yoga é uma prática milenar que surgiu na Índia milhares de anos atrás.

Baseada nas palavras de Patanjali, "Yoga é a anulação das ondas mentais, ou a anulação das formações mentais ou ainda é impedir que a mente tome várias formas". Colocando-se em outros termos, o objetivo é perceber a verdade interior, ao se tranqüilizar a mente.

Para que se atinja a liberação proposta, o sábio propôs alguns meios: Yama, ou Mandamentos da moral universal; a autopurificação pela disciplina; as posturas psicofísicas; o controle da Energia ou força universal; o controle da respiração; o desligar os sentidos dos seus objetos; a concentração; a meditação.

Existem diversas linhas de Yoga. O praticante pode optar, de acordo com a sua identidade, por uma das diferentes formas do Yoga, como Raja Yoga (meditação), Bhakti Yoga (devoção), Karma Yoga (ação), Jnana Yoga (conhecimento), todas visando a integração do ser humano com o ser espiritual.

No Ocidente, um dos estilos mais populares é o Hatha Yoga, o Yoga físico. Este sistema é baseado na prática de Asanas (posturas) e Pranayama (controle da respiração) e representa uma das mais antigas formas de exercício do mundo. Já o Power Yoga é um estilo de Hatha Yoga.

Há diversos caminhos para a união de acordo com a personalidade de cada um, há vários caminhos, mas o fim é sempre o mesmo: compreender e viver a união (Yoga). Alguns dos caminhos são: o trabalho e o serviço desinteressado; a devoção a um Deus; o conhecimento verdadeiro; o controle da mente.

O Yoga Hoje

De acordo com praticantes, o interesse por atividades de integração corpo e mente está crescendo cada vez mais hoje em dia. Os desafios da vida moderna, sejam no plano físico, mental ou emocional, pessoal ou profissional, acabaram criando um interesse especial por práticas de exercícios e terapia. Para eles, dentre tantas atividades, a prática milenar do Yoga vem ganhando seu espaço. Só nos Estados Unidos são doze milhões de praticantes.

Inicialmente, a Yoga foi vista com uma atividade de pequenos grupos, como os hippies. Entretanto, muitos empresários, intelectuais, artistas e atletas profissionais estão praticando Yoga atualmente.

Power Yoga: Uma Derivação Brasileira

Desenvolvido por Marco Schultz (professor americano, radicado no Brasil, formado em Educação Física e Ciência do Esporte pela Universidade de São Diego), o Power Yoga vem ganhando um número cada vez maior de adeptos em todo o Brasil. Trata-se de uma prática que exercita o corpo inteiro.

De acordo com o professor Schultz, o fato de existirem muitos atletas e pessoas voltadas a atividades físicas praticando Power Yoga não significa que a atividade se limite a eles. O trabalho é exigente, requer esforço físico e presença mental, mas tudo dentro de uma proposta em que cada um, independentemente da força e flexibilidade, coordenação e equilíbrio, respeite a capacidade e o limite do próprio corpo. Cada pessoa no seu tempo, cada um com seu processo.

O Power Yoga sugere que se tenha uma dieta alimentar consciente, equilibrada e que alimente verdadeiramente. Esclarece que não existe a dieta perfeita, e sim o que o organismo precisa para viver bem nutrido. "Acreditamos que é fundamental desenvolver uma intimidade com o corpo para saber o que de fato é alimento. Com certeza, quanto mais natural, integral e orgânica for sua alimentação, melhor".

Os Riscos da "Ocidentalização"

De acordo com Pedro Kupfer, autor de livros sobre Yoga (História do Yoga e Yoga Prático, por exemplo) e estudioso do assunto, as tradições do Yoga mudam de geração para geração. Para ele, a mudança quase nunca significa melhoria. "É virtualmente impossível manter a tradição intacta, porque o Yoga não é uma múmia: é algo vivo, dialético, mutante e que interage com o tempo e as pessoas", diz o também articulista de um site de yoga na Internet, chamado Portal de Yoga.

Não há contra-indicações para a prática do Yoga. Embora algumas posturas comumente vistas em fotos e ilustrações pareçam, ao leigo, impraticáveis, o iniciante do Yoga deve começar gradualmente: "se for muito difícil ficar sentado no solo, é preferível que você pratique no início sentado numa cadeira ou poltrona de encosto reto. O que importa é a disposição interior e o entusiasmo", explica Kupfer.

De acordo com Kupfer, em um de seus artigos, "Cuidados Preliminares para Praticar", publicado no Portal do Yoga, vinte minutos é um tempo razoável para quem está começando a praticar o Yoga. "Gradativamente, na medida em que os primeiros resultados forem se manifestando, você irá aumentar de forma natural e progressiva esse tempo até uma hora por sessão", orienta.

Ele adverte que, embora algumas pessoas pensem que o progresso no Yoga dependa de práticas de austeridade ou mortificação, de ficar sofrendo ou atormentando-se com exercícios extenuantes, "há formas e formas de se fazer tapas (calor, auto-superação, esforço sobre si próprio). A prática de tapas deve estar em função do temperamento e do caráter da pessoa. A austeridade que vale para um camelo, que fica dias a fio sem beber água, pode não ser boa para o homem. O segredo é fazer tapas com inteligência", exemplifica, contando que, como dizia um mestre do yoga, "cara feia não é sinal de espiritualidade, e sim de dispepsia".

Para Kupfer, a auto-superação significa "disciplina na prática, cultivo das virtudes mais elevadas e muita consciência em todas as atitudes e decisões do dia a dia". Ele adverte sobre a importância de se evitar os exageros e praticar hábitos que garantam qualidade de vida, como "manter o pensamento positivo, a alimentação correta, os exercícios para manter o corpo em forma e dedicar alguns momentos à natureza e a atividades que nos outorguem satisfação e nos realizem como seres humanos", ensina.

Ele também indica que convém eliminar o uso de álcool, drogas ou tabaco, mesmo que socialmente. O vegetarianismo também é indicado aos que pretendem levar o Yoga a sério. Kupfer explica que a razão desta opção por uma alimentação equilibrada e frugal, evitando os excessos, "é que assim se consegue fazer muito mais facilmente todos os exercícios e a evolução é mais rápida".

Do ponto de vista da promoção da saúde e da prevenção de doenças, Kupfer conta que "todas as posições de meditação disciplinam a atividade psíquica, tonificam os órgãos da região pélvica e ativam a circulação sangüínea nesta área". O estudioso conclui que mesmo que o praticante que está iniciando o yoga não consiga permanecer nas posições indicadas confortavelmente, não significa que a meditação não lhe esteja indicada, bastando que comece devagar e bem orientado por um bom mestre, que leve em consideração as particularidades de cada um.

Ayurveda: A Mãe da Medicina

De acordo com a professora Camila Reitz, o ayurveda, sistema de medicina baseado no conhecimento védico, do qual o yoga faz parte, trata cada indivíduo como um ser único. "Ayurveda vem de duas palavras em sânscrito: ayus significa vida; veda significa sabedoria ou ciência, esta é uma ciência baseada na observação dos seres humanos e suas atuais relações com o meio ambiente. É denominada a mãe de todas as medicinas, pois influenciou a medicina chinesa, tibetana, grega e também a da cultura árabe".

O ayurveda trabalha com seres humanos que aspiram a ter longevidade, abundância e felicidade. Para Reitz: "O objetivo é conquistar saúde e longevidade para o indivíduo; prevenir estados de desequilíbrio mental e físico; equilibrar o corpo e a mente; atingir a libertação".

Segundo a professora, para conseguir liberação é necessário equilibrar o corpo e a mente e manter a saúde perfeita. Esta pode se adquirir através de condutas diárias regulares, de dietas relacionadas as estações do ano, de purificações do corpo e das emoções. Estar constantemente saudável é comparável com estar em liberação, pois assim você deixa de sofrer, esclarece.

Compreendido por esse ângulo, o Ayurveda trata não somente de fatores físicos, mas também de fatores psicológicos, importantes para a manutenção do equilíbrio e da saúde. Para eles, pode-se dizer que as doenças são apenas uma 'descoordenação' entre o corpo e a mente. De acordo com seus princípios, a liberação da mente é importante, ou seja, o momento em que todos os desejos acabam. Para a professora, os desejos nos distanciam de uma vida equilibrada, pois fazem com que percamos os limites de medida, causando desequilíbrio da mente.

Para Camila Reitz, a grande diferença entre a medicina tradicional e o ayurveda é que esta trata cada indivíduo como sendo único, pois cada um tem o seu biótipo. "Enquanto a medicina tradicional trata de curar a doença, ou seja, matar o vírus, ou retirar estranhos tumores que aparecem não se sabe de onde, a ciência da vida trata de manter o equilíbrio dos elementos que constituem o Universo e o indivíduo, para que não haja doença", esclarece Camila.

Contraponto: O Risco é Substituir a Medicina pela Filosofia

Não se deve confundir a prática de um exercício com o conhecimento científico. É bastante perigoso pensar em se tratar algumas doenças apenas com técnicas de relaxamento, respiratórias, de exercícios e com a qualidade da alimentação. Há situações, como, por exemplo, casos de câncer e de portadores do HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana, causador da AIDS), em que é fundamental a aplicação dos conhecimentos da medicina tradicional. Ainda que as técnicas do yoga e seu estilo de vida possam contribuir para a melhora do quadro geral do paciente, pondera, a medicina é essencial para que se combata os vírus e bactérias, assim como os tumores, citando apenas alguns dos agentes das patologias atuais.

Deduz-se daí que, contando com a medicina tradicional, o praticante de yoga tenda a ter mais forças para superar sua doença - assim como qualquer médico também indicará aos seus pacientes, seja de câncer ou de AIDS, que tenham uma vida saudável, pratiquem exercícios, não fumem, não bebam e mantenham uma alimentação adequada e nutritiva. O risco é que se pretenda substituir a medicina pela filosofia, em vez de aliá-las no esforço pela manutenção da saúde.

Copyright © 2006 Bibliomed, Inc.              Revisado 28 de Agosto de 2006.



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: