Publicidade

Artigos de saúde

Métodos Naturais de Contracepção: Suas Vantagens e Desvantagens

Neste Artigo:

- Introdução
- Método do Calendário ou Tabelinha
- Temperatura Corporal Basal
- Muco Cervical ou Método de Billings
- Método Sintotérmico
- Calculando o Período Fértil
- Veja Outros Artigos Relacionados ao Tema

"Um controle natural da fertilidade realmente eficiente usa uma combinação de testes para que a mulher tenha certeza da segurança de não usar o anticoncepcional. Estão incluídos aí, as medidas de temperaturas pela manhã e as verificações nas mudanças das secreções cervicais, que geralmente anunciam o início do período fértil. Os cientistas dizem que esse método, quando bem executado garante 98% de sucesso. Em outras palavras, duas entre 100 mulheres ainda ficam grávidas sem querer".

Introdução

Os métodos naturais de contracepção, ou de abstinência periódica, são processos que exigem que a mulher aprenda quando o período fértil do seu ciclo menstrual começa e termina. Sabendo como identificar o período fértil, o casal pode aprender a evitar a gravidez. São métodos que requerem a cooperação de ambos os parceiros. Segundo o médico Sérgio dos Passos Ramos, especialista em Ginecologia e Obstetrícia na Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), a eficácia dos métodos de abstinência periódica varia muito mais do que a dos outros métodos anticoncepcionais. "Essa variação individual, ou seja, do ciclo de cada mulher é a que mais dificulta a previsão dos dias férteis. Por isso, o acompanhamento de um profissional pode ajudar muito as famílias que queiram entender o processo do sistema reprodutivo e usá-lo para planejar ou prevenir a gravidez", comenta.

Método do Calendário ou Tabelinha

O método de Ogino-Knaus, calendário, ritmo ou tabela como é mais conhecido, é talvez um dos mais utilizados. Busca encontrar, através de cálculos, o início e o fim do período fértil. O método é indicado para mulheres que têm o ciclo menstrual absolutamente regular, pois os espermatozóides chegam a sobreviver três dias no aparelho genital da mulher e os óvulos ficam ali por um dia. Segundo o ginecologista e professor da Universidade Federal de Minas Gerais, Antônio Aleixo Neto, ainda assim, a tabelinha pode falhar, pois o ciclo pode se alterar dependendo de fatores externos, como alimentação, estresse, atividade física, doenças e até mudanças de fuso horário. Segundo ele, grande parte dos especialistas aconselha suas pacientes a descartarem a opção da tabelinha: "Os índices de falha desse método são bem altos, tanto para quem deseja engravidar, quanto para quem o utiliza com a finalidade de contracepção. Nesse caso, as taxas de erro chegam a 40%", comenta o médico.

Antes de usar esse método com segurança, a mulher deve registrar o número de dias de cada ciclo menstrual durante, pelo menos, seis meses. Em seguida deve calcular quando ocorrem os dias férteis, seguindo as instruções a seguir:

Do número total de dias no seu ciclo mais curto, subtraia 18. Isto identifica o primeiro dia fértil do seu ciclo.
Do número total de dias no seu ciclo mais longo, subtraia 11. Isto identifica o último dia fértil do seu ciclo.

Exemplo: Se o ciclo menstrual variou entre 26 e 32 dias durante o registro:

26 - 18 = 8. A mulher deve evitar relações sexuais sem proteção a partir do dia número 8 de cada ciclo.
32 - 11 = 21. Ela pode ter relações sexuais sem proteção a partir do dia número 21 de cada ciclo.

Vantagens: pode ser usado para evitar ou alcançar uma gravidez; não apresenta efeitos colaterais físicos; grátis; aumenta o conhecimento da mulher sobre o seu sistema reprodutivo; retorno imediato da fertilidade.

Desvantagens: alta incidência de falha (de 14 a 47%); difícil para algumas mulheres detectar o período fértil; não protege contra AIDS e doenças sexualmente transmissíveis (DSTs).

A tabelinha pode requerer, em um ciclo, 16 ou mais dias de abstinência sexual ou o uso de métodos de barreira, especialmente se a mulher tem ciclos irregulares. Para alguns casais, praticar abstinência periódica pode ser um pouco restritivo. Por esta razão, recomenda-se o uso da temperatura corporal basal paralelamente, com o qual se pode reduzir o período de abstinência pós-ovulatória.

Temperatura Corporal Basal

A mulher deve verificar a sua temperatura corporal da mesma maneira (oral, vaginal, retal), no mesmo horário, todas as manhãs, antes de se levantar. Ela deve aprender a ler o termômetro e registrar a sua leitura em um gráfico especial. A temperatura da mulher sobe 0,2° a 0,5°C no período após a ovulação (aproximadamente no meio do ciclo menstrual, para muitas mulheres). O casal deve evitar relações sexuais com penetração vaginal desde o primeiro dia da menstruação até depois de três dias que a temperatura basal tenha subido. Depois disso, o casal pode ter relações sexuais (durante os próximos 10 a 12 dias) até o início da próxima menstruação.

Muco Cervical ou Método de Billings

Também conhecido como método de Billings baseia-se na ocorrência de modificações cíclicas no muco cervical, através das quais as mulheres podem observar se estão no período fértil. Neste caso, a mulher deve pesquisar a presença do muco todos os dias, observando atentamente a sensação ocasionada pelo mesmo, buscando perceber claramente as mudanças progressivas que ocorrem. É importante interromper a atividade sexual ao menor sinal da presença do muco, após o período de secura vaginal que normalmente sucede à menstruação. Segundo Lucila Evangelista, ginecologista e obstetra do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, é necessário observar o aumento progressivo do muco que atinge o pico durante a ovulação, passando a regredir a partir dela, por ação da progesterona. "A regra é permanecer em abstinência por no mínimo três dias a partir do pico, podendo reiniciar a atividade sexual no quarto dia. Por ser um método pouco eficiente ele não é recomendado para mulheres que não tem um parceiro fixo, ou para aquelas que não querem engravidar de maneira alguma", explica a médica.

Os especialistas recomendam que os casais evitem relações sexuais sem proteção anticoncepcional durante a menstruação, porque fica difícil verificar as secreções cervicais. Entretanto, as chances de gravidez nos primeiros cinco ou seis dias do ciclo são muito pequenas. Cessada a menstruação, por vários dias o muco cervical estará ausente. As relações sexuais são usualmente consideradas seguras durante esse período. Entretanto, espermicidas, infecções vaginais e algumas drogas podem afetar o padrão normal de secreções da mulher.

Método Sintotérmico

O casal identifica os dias férteis e inférteis através de uma combinação dos três métodos: calendário, monitorização da temperatura corporal basal e exame do muco cervical e, freqüentemente, outros sinais e sintomas que podem indicar a ocorrência da ovulação, tais como a consistência do colo do útero, ingurgitamento mamário, dor pélvica, mudanças de humor, etc. A mulher deve manter o registro diário das secreções vaginais, da temperatura basal, e de outros sintomas, além das datas das menstruações. Isso permitirá a ela adquirir experiência na detecção dos sinais da ovulação, tornando o método mais confiável.

Outros sinais e sintomas de ovulação incluem: dor pélvica, modificações cervicais, sensibilidade mamária. Além disso, o método do calendário pode ajudar a identificar o início do período fértil. O uso combinado de todos os sinais pode aumentar a precisão da detecção da ovulação, permitindo períodos mais curtos de abstinência.

Calculando o Período Fértil

Pesquisadores dos Estados Unidos afirmam, que não é regra o período fértil da mulher acontecer entre o 10º e o 17º dias do ciclo menstrual. Um estudo, publicado na revista British Medical Journal, sugere que apenas um terço das mulheres ficam realmente férteis nesses dias.

Os cientistas pesquisaram a fertilidade de 213 mulheres saudáveis, examinando amostras diárias de urina à procura de hormônios necessários à ovulação. Descobriram que mesmo as mulheres que tinham um ciclo regular não podiam saber com certeza se estavam ou não em seu período fértil. De fato, um número significante de mulheres só começou a ovular três dias depois do período fértil previsto e muitas permaneceram férteis após o 17º dia.

Segundo os pesquisadores, as variações ocorrem não só de mulher para mulher, como de ciclo para ciclo em uma mesma mulher. Assim, apesar de para muitas mulheres, as técnicas utilizadas para os métodos naturais oferecem indicações precisas sobre o seu período fértil, as taxas de gravidez são mais altas entre suas usuárias do que entre as mulheres que usam outros métodos. Veja os índices de gravidez:

Calendário: nove em 100 mulheres no primeiro ano de uso (uma em cada 11).

Muco Cervical: três em 100 mulheres no primeiro ano de uso (uma em cada 33).

Temperatura corporal basal: uma em 100 mulheres no primeiro ano de uso (quando as relações sexuais acontecem apenas depois da ovulação e antes da próxima menstruação).

Sintotérmicos: duas em 100 mulheres no primeiro ano de uso (uma em cada 50 mulheres).

Copyright © 2001 eHealth Latin America                 10 de Janeiro de 2001




Artigos relacionados com esse tema:

Especialista Avalia Métodos Anticoncepcionais

Quais São os Dias Férteis do Ciclo Menstrual?

Algumas Mulheres Sob Risco no Uso de Anticoncepcionais



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: