Notícias de saúde

Principal vacina para COVID-19 que seria usada no Brasil tem testes interrompidos

09 de setembro de 2020 (Bibliomed). A AstraZeneca, uma das principais indústrias de medicamentos do mundo, anunciou nesta terça-feira (08/09) que interrompeu um teste de sua vacina contra o novo coronavírus (SARS-CoV-2) por causa de uma reação adversa inexplicada em um dos voluntários.

Em comunicado enviado à imprensa, a empresa explicou que este procedimento é uma precaução padrão em testes de vacinas, destinada a garantir que as vacinas experimentais não causem reações graves entre os voluntários. A AstraZeneca ressaltou que “esta é uma de rotina que deve acontecer sempre que houver uma doença potencialmente inexplicada em um dos ensaios, enquanto ela é investigada, garantindo a manutenção da integridade dos ensaios”.

Segundo o jornal New York Times, um participante na Grã-Bretanha apresentou mielite transversa, uma síndrome inflamatória que afeta a medula espinhal e costuma ser desencadeada por infecções virais, mas a empresa optou por interromper todos os testes da empresa com a vacina em todo o mundo. Um Comitê de Monitoramento de Dados e Segurança geralmente monitora os estudos em busca de eventos adversos e pode pedir uma pausa ou suspensão de um estudo, mas a AstraZeneca não disse se a iniciativa de interromper o processo foi da empresa ou do Comitê.

O medicamento da AstraZeneca era a vacina com maior potencial de ser usada em larga escala no Brasil, onde os testes eram realizados pelo Centro de Referência para Imunobiológicos Especiais da Universidade Federal de São Paulo (Crie/Unifesp). Em comunicado, a Unifesp confirmou a interrupção dos testes e ressaltou que, no país, o estudo envolve cinco mil voluntários e avança conforme o esperado, com boa parte dos participantes já tendo recebido a segunda dose da vacina e que, até o momento, não houve registro de intercorrências graves de saúde.

Na terça-feira, a AstraZeneca se juntou a outras oito empresas na assinatura de um compromisso prometendo que não buscariam a aprovação prematura do governo para nenhuma vacina contra o coronavírus. Eles prometeram que esperariam até que tivessem dados adequados mostrando que qualquer vacina potencial funcionou com segurança para prevenir a infecção.

Fonte: CNN. September 08, 2020.

Copyright © 2020 Bibliomed, Inc.

Copyright © 2020 Bibliomed, Inc.

Veja também

Faça o seu comentário
Comentários