Notícias de saúde

Mamoplastia redutora na adolescência

17 de dezembro de 2019 (Bibliomed). A mamoplastia redutora na adolescência permanece controversa devido a preocupações com o crescimento mamário no pós-operatório, complicações e o efeito no bem-estar. Um novo estudo procurou quantificar prospectivamente as complicações precoces e tardias após mamoplastia redutora em adolescentes e mulheres jovens e examinar a interseção de complicações cirúrgicas e qualidade de vida pós-operatória relacionada à saúde.

Pesquisadores do Hospital Infantil de Boston e Harvard Medical School analisaram pesquisas de 512 pacientes do sexo feminino, com idades entre 12 e 21 anos, submetidas a mamoplastia redutora entre 2008 e 2017. As pacientes responderam questionários antes da operação, seis meses após a cirurgia, e um, três, cinco e sete anos após a cirurgia. Os questionários incluíram a Pesquisa de Saúde de Forma Curta de 36 itens (versão 2), a Escala de Autoestima de Rosenberg, o Questionário de Sintomas Relacionados à Mama e o Teste de Atitudes Alimentares-26. As pacientes também responderam a pesquisas avaliando resultados cirúrgicos e complicações.

Os pesquisadores descobriram que cicatrizes hipertróficas ocorreram em 20,0% dos pacientes, alteração da sensibilidade do mamilo ocorreu em 8,4% dos pacientes, e sensibilidade alterada na mama ocorreu em 7,8% das pacientes. Algumas pacientes apresentaram outras complicações, incluindo crescimento mamário pós-operatório. No entanto, independentemente das complicações, a maioria das pacientes apresentou melhorias significativas no bem-estar físico e psicossocial, conforme medido por questionários. Os pesquisadores também descobriram que a idade da paciente, o índice de massa corporal e a quantidade de tecido removido não afetaram significativamente as chances de ocorrer uma complicação.

Portanto, segundo o estudo, a cirurgia de redução da mama melhora o bem-estar físico e psicossocial em mulheres jovens submetidas à cirurgia devido a mamas excessivamente grandes, de acordo com um estudo publicado na revista Plastic and Reconstructive Surgery.

Fonte: Plastic and Reconstructive Surgery. Volume 144. Issue 3. Pages 572-581.

Copyright © 2019 Bibliomed, Inc.

Veja também

Faça o seu comentário
Comentários