Pais e avós discordam sobre a paternidade cerca da metade das vezes

Comment

Comportamento

Cerca de metade de todos os pais e avós discordam sobre as escolhas dos pais para os filhos, como disciplina, refeições e tempo de TV, de acordo com os resultados de uma pesquisa realizada em nível nacional nos Estados Unidos. Outras discordâncias entre pais e avós estão relacionadas aos modos, segurança e saúde das crianças, bem como questões como a hora de dormir.

A pesquisa Mott, liderada por pesquisadores do Hospital Infantil C.S. Mott, da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, mede as atitudes, experiências e prioridades dos pais em relação a questões relacionadas à saúde e tendências para crianças no país.

Os 2.016 participantes, todos pais de crianças e adolescentes menores de 18 anos, são entrevistados três vezes por ano sobre diversos temas, com resultados divulgados mensalmente. A nova pesquisa teve como objetivo avaliar a dinâmica entre pais, avós e filhos, e a fonte de quaisquer divergências sobre a parentalidade entre as gerações.

A disciplina foi a maior fonte de contenção, com 57% dos pais relatando que tiveram disputas com os avós sobre o assunto, disseram os pesquisadores. Quatro por cento dos pais pesquisados ​​indicaram que achavam que os avós eram muito brandos com as crianças, enquanto 14% sugeriram que os avós são muito durões.

Quarenta e quatro por cento dos pais analisados disseram que as discussões sobre a alimentação das crianças eram comuns, com os avós tendendo a dar biscoitos, sorvete e outros lanches não saudáveis ​​para as crianças.

Trinta e seis por cento dos pais disseram ter desentendimentos com os avós sobre TV e tempo de tela para os filhos, enquanto a hora de dormir para as crianças foi o ponto de discórdia para 21% dos pais que responderam à pesquisa.

Vinte e sete por cento dos pais relataram discordâncias com os avós em relação aos modos, 22% acusaram os avós de tratar alguns netos de maneira diferente de outros e um em cada quatro relatou disputas em relação à saúde e segurança das crianças.

Um em cada sete pais que responderam à pesquisa disse que decidiu limitar o tempo de contato entre seus filhos certos avós por causa dessas e outras disputas, e 40% indicaram que pediram aos avós para mudarem seu comportamento. Apenas metade dos pais disse que os avós fizeram alterações, enquanto 17% disseram que os avós se recusaram abertamente a fazê-lo.

De acordo com os autores do estudo, se os avós contradizem ou interferem nas escolhas dos pais, isso pode prejudicar seriamente o relacionamento. O ideal, segundo os pesquisadores, é que os avós se esforcem para entender e cumprir as solicitações dos pais, sendo mais consistentes com as escolhas desses, não apenas para apoiá-los, mas para evitar conflitos.

Fonte: Mott Poll Report. National Poll On Children´s Health. Vol 36, Issue 5.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *