Publicidade

Notícias de saúde

Você realmente sabe usar a camisinha? Confira os erros mais comuns

28 de fevereiro de 2012 (Bibliomed). A camisinha é o método contraceptivo mais usado em todo mundo. Além de ajudar a evitar gravidezes indesejadas, a camisinha protege contra a transmissão de doenças sexualmente transmissíveis. Mas para que ela seja eficaz, é extremamente importante que ela seja usada corretamente.

Um artigo publicado no periódico Sexual Health fez uma revisão de 50 estudos que abordavam erros de uso da camisinha em todo mundo. Confira a lista abaixo:

1 – Colocar a camisinha após a relação sexual ter sido iniciada – entre 17% e 51,1% dos participantes dos estudos já tiveram essa atitude.

2 – Remoção antecipada – entre 13,6% e 44,7% dos participantes já removeram a camisinha antes de a relação ter terminado.

3 – Desenrolar a camisinha antes de colocá-la no pênis – entre 2,1% e 25,3% das pessoas disseram desenrolar completamente o preservativo antes de colocá-lo.

4 – Não deixar espaço na ponta – o reservatório de sêmen deve ser pressionado levemente no momento da aplicação. Bolsas de ar podem romper a camisinha, e entre 24,3% e 45,7% das pessoas disseram não ter esse cuidado.

5 – Não remover o ar dentro da camisinha – 48,1% das mulheres e 41,6% dos homens não removeram o ar presente na ponta da camisinha antes de iniciar a relação.

6 – Virar a camisinha ao avesso – entre 4% e 30,4% dos participantes disseram virar a camisinha ao avesso, expondo o parceiro a fluídos corporais.

7 – Não desenrolar a camisinha inteiramente - 11,2% das mulheres e 8,8% dos homens disseram já ter iniciado uma relação sexual sem ter desenrolado completamente o preservativo.

8 – Exposição a objetos pontiagudos – entre 2,1% e 11,2% das pessoas já abriram o pacote de camisinha com objetos pontiagudos, como tesouras, ou já expuseram o látex a objetos afiados de outras formas.

9 – Não procurar por danos ao preservativo – 82,7% das mulheres e 74,5% dos homens não avaliaram a presença de danos à camisinha antes de iniciar a relação.

10 – Falta de lubrificação – entre 16% e 25,8% dos participantes já utilizaram preservativos sem lubrificação (o que aumenta as chances de ocorrer um rompimento).

11 – Lubrificantes errados – em 4,1% das relações sexuais as pessoas utilizaram lubrificantes inadequados a esse uso, o que pode comprometer a camisinha.

12 – Retirada incorreta – em 57% das relações, a camisinha foi retirada incorretamente após a ejaculação.

13 – Reaproveitamento da camisinha – entre 1,4% e 3,3% dos participantes dos estudos há haviam utilizado um mesmo preservativo pelo menos duas vezes durante um encontro sexual.

14 – Armazenamento incorreto - entre 3,3% e 19,1% das pessoas já armazenaram camisinhas de formas inadequadas (que não seguiam as recomendações informadas no pacote).

A camisinha, quando usada corretamente, tem 98% de eficácia na prevenção da gravidez. Erros como os mostrados acima aumentam as chances de que ocorram vazamentos e rompimentos, causando gravidezes não planejadas e a transmissão de doenças.

Fonte: Live Science 24 de fevereiro de 2012

Copyright © 2012 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: