Publicidade

Notícias de saúde

Uso de medicamento para déficit de atenção é excessivo em crianças

11 de maio de 2011 (Bibliomed). Uma pesquisa desenvolvida na USP, Unicamp, Instituto Glia de pesquisa em neurociências e do Albert Einsten College of Medicine (EUA) mostra que aproximadamente 75% das crianças e adolescentes brasileiros recebendo tratamento para déficit de atenção foram diagnosticados incorretamente.

O estudo analisou 5.961 jovens de todo o país entre 4 e 18 anos de idade. Para determinar se os diagnósticos dos participantes eram corretos, cientistas aplicaram questionários, onde os pais e professores determinaram a ocorrência do transtorno usando o manual americano de diagnóstico em psiquiatria DSM-4 Esses dados foram comparados com informações dadas pelos pais sobre os diagnósticos que seus filhos já haviam recebido antes da pesquisa.

Dentre os jovens que participaram do estudo, apenas 23,7% realmente sofriam de déficit de atenção. Dos que recebiam medicamento para o transtorno, apenas 27,3% precisavam do tratamento.

Além de diagnósticos equivocados trazerem complicações para o paciente, o abuso de medicamentos pode causar efeitos colaterais graves. O medicamento usado no tratamento dessa condição é o metilfenidato, princípio ativo da Ritalina e do Concerta. Ele age no sistema nervoso central, fazendo com que a pessoa consiga se concentrar melhor.

O uso indiscriminado da droga é bastante comum entre adultos, porém, de acordo com a especialista em psiquiatria Maria da Graça de Castro “não há comprovação científica de que a ritalina traga benefícios. para quem não tem déficit de atenção”.

Entre 60% e 80% dos casos infantis de déficit de atenção prevalecem na vida adulta do paciente. Porém o uso de medicamentos deve ser feito com acompanhamento médico. Estima-se que 4% dos adultos brasileiros possam sofrer dessa condição.

Fonte: Vitrine de Notícias 10 de maio de 2011

Copyright © 2011 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: