Publicidade

Notícias de saúde

Adolescentes grávidas precisam de apoio social e familiar

20 de Junho de 2003 (Bibliomed). A sexualidade sem risco inclui a expressão sexual sem riscos de doenças, gravidez indesejada, repressão ou discriminação – e depende de informação. Segundo o Censo 2000 realizado pelo IBGE, apesar da taxa de fecundidade estar diminuindo nas outras faixas etárias, houve um crescimento de 14,17% no número de crianças nascidas de mães com idade de 15 a 19 anos. A maior proporção de mães adolescentes foi observada na Região Norte (30%) e a menor na Sudeste (20%).

A gravidez indesejada atinge 75% das mães adolescentes. Nesses casos, o incidente ocorre por falta de informação, desconhecimento dos métodos anticoncepcionais, necessidade de agredir a família, carência afetiva, pela rebeldia da juventude em acreditar que nada de inesperado pode acontecer, dentre outros fatores.

Para o ginecologista Duval Camilo, o corpo feminino só está pronto para gerar uma criança entre os 16 e 18 anos, quando o desenvolvimento ósseo e o crescimento já se completaram e o equilíbrio hormonal foi alcançado. Apesar da menina poder ficar grávida a partir da primeira menstruação, a estrutura do seu corpo é frágil e a gestação é considerada de alto risco. “Com a imaturidade do corpo, as chances de ocorrer um aborto, de nascimento prematuro, de cesariana, anemia e toxemia (doença hipertensiva específica de gravidez) são maiores”, explica.

Por isso, é indispensável que ela tenha um pré-natal com atendimento multidisciplinar – obstetra especializado em adolescentes, nutricionista, fisioterapeuta e psicólogo. A gestante também precisa de apoio social e familiar. A falta desse apoio causa muitas vezes um processo de parto mais difícil, rejeição ou abandono do bebê e depressão pós-parto. “A adolescente, independente da sua classe, é muitas vezes expulsa de casa, convidada para se retirar da escola, não tem o apoio do namorado que resolve não assumir a criança, e acaba ficando sem referência depois do nascimento do filho”, relata a presidente da ONG Mulher e Saúde (Musa), Mônica Maia.

Copyright © 2003 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: