Publicidade

Notícias de saúde

Viajantes devem ficar alerta para risco de febre amarela silvestre

11 de Dezembro de 2002 (Bibliomed). Para evitar transtornos nas férias, as pessoas que irão viajar para áreas próximas a matas naturais ou cachoeiras devem tomar a vacina contra a febre amarela. A vacinação também é recomendada para os praticantes de esportes radicais ou esportes da natureza. A visita a áreas de risco, aliada à proliferação do mosquito transmissor da doença em função das chuvas de verão, aumenta o risco de contágio nas regiões endêmicas. O alerta é da Fundação Nacional de Saúde (Funasa). A vacina está disponível gratuitamente nos postos de saúde, em qualquer época do ano, e deve ser aplicada dez dias antes da viagem. A imunização vale por dez anos.

Uma extensa faixa de território brasileiro é considerada endêmica para a febre amarela silvestre. O vírus amarílico circula nas áreas de matas em todos os estados das regiões Norte (Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins) e Centro-Oeste (Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul), além do Maranhão, na região Nordeste. Uma outra área, que também é considerada de risco, abrange faixas territoriais de sete estados: sudoeste do Piauí e região oeste da Bahia, Minas gerais, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e noroeste do Rio Grande do Sul. Recomenda-se a vacinação prévia contra a febre amarela silvestre para todos aqueles que viajarem para essas áreas.

Desde 1998, a Funasa imunizou mais de 61 milhões de pessoas contra a febre amarela silvestre. Não há registro de casos da febre amarela urbana no Brasil desde 1942. Na cadeia de transmissão da febre amarela silvestre, o macaco é o hospedeiro do vírus. A contaminação ocorre quando um mosquito leva o vírus do macaco contaminado para o homem.

Copyright © 2002 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: