Publicidade

Notícias de saúde

Engordar demais na gravidez aumenta risco de câncer de mama

18 de Abril de 2002 (Bibliomed). O período da gravidez é um período de transformações importantes e delicadas no corpo da mulher, que abriga uma nova vida. Todo o organismo sofre mudanças, que têm como objetivo o bem estar da mãe e do feto e a manutenção da saúde de ambos.

Uma das mudanças mais evidentes é o ganho de peso da mãe. É recomendável que a mulher ganhe de 11 a 16 quilogramas durante a gestação, de forma a garantir o adequado desenvolvimento e ganho de peso do feto sem espoliação da mãe. Durante a gestação também é necessário alguma reserva de energia a ser utilizada na amamentação, período no qual a mulher tende a alcançar novamente seu peso normal, desde que mantenha uma alimentação saudável e balanceada.

Toda gestante deve se alimentar bem, com muitas frutas, vegetais e proteínas. O período de gestação não é um período favorável à dieta para perda de peso, pois há um enorme risco de privar o bebê em desenvolvimento dos nutrientes necessários ao seu crescimento e desenvolvimento. A desnutrição da mãe pode causar danos irreparáveis à saúde do bebê, por deixá-lo sem nutrientes necessários à construção de seus órgãos e sistemas, que estão todos crescendo e se desenvolvendo em velocidade assustadora.

Porém, nem sempre comer muito, ou comer para dois como costuma-se dizer, é interessante para a mãe ou para o feto. Diversos problemas podem surgir do excesso de peso durante a gestação, tanto para a mãe quanto para o bebê. Pesquisadores da Finlândia liderados pela Dra. Leena Hilakivi-Clarke mostram que, além do risco de pressão alta durante a gestação, excesso de peso do bebê, impossibilidade de realização de parto normal, dentre outros problemas, mães que engordam demais na gestação podem apresentar risco aumentado de desenvolver câncer de mama.

O estudo, que foi apresentado no encontro da Associação Americana para Pesquisas sobre o Câncer, mostrou que mulheres que ganharam peso em excesso durante a gravidez têm risco de desenvolver câncer de mama após a menopausa aumentado em 40%.

Os pesquisadores não conseguiram explicar por que o excesso de peso na gravidez aumenta o risco desta doença, mas outras pesquisas já mostraram que mulheres em excesso de peso apresentam risco de câncer de mama após a menopausa, provavelmente porque o tecido gorduroso é capaz de produzir o hormônio feminino estrógeno. Este hormônio alimenta alguns tipos de tumores de mama, levando-os a se desenvolver mais e mais. Na gravidez, os estrógenos já estão elevados naturalmente. Especula-se que, em mulheres grávidas com excesso de peso, os estrógenos estejam em níveis mais altos do que o normal, propiciando o desenvolvimento de tumores de crescimento lento que só serão diagnosticados muito tempo depois. Além disto, o excesso de peso ganho não é perdido após o parto, e isto poderia expor a mãe a níveis de estrógeno continuamente aumentados, aumentando ainda mais o risco de câncer.

Estes dados reforçam a importância de um acompanhamento pré-natal de qualidade, que possa informar à mãe se ela está ganhando pouco peso, peso suficiente ou peso demais durante a gestação. A manutenção do peso dentro da faixa recomendada é a melhor saída, já que garante nutrição adequada à mãe e ao feto, impedindo a desnutrição fetal, e afasta o risco de ganho exagerado de peso e todas as suas conseqüências conhecidas. Além disto, a mãe que é acompanhada por um serviço de pré-natal sempre será informada se sua saúde geral e a saúde do bebê estão em ordem, e problemas potencialmente previsíveis serão contornados em prol da saúde do binômio mãe-filho.

Copyright © 2002 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: