Publicidade

Notícias de saúde

Saneamento pode reduzir tifóide em 80%

São Paulo, 25 de Junho de 2001 (eHealthLA). O governo estará liberando, em um ano, verbas suficientes para criar rede de abastecimento de água e de coleta de esgotos para 18 mil famílias nos estados do Amazonas, Goiás e Paraná.

Os protocolos têm valor global de R$ 15,6 milhões - R$ 12 milhões no Amazonas, R$ 2 milhões em Goiás e R$ 1,6 milhão no Paraná - para aplicação em melhoria das condições de saneamento básico nesses estados. Com isso, pode-se evitar 80% dos casos de febre tifóide.

Nesse primeiro ano serão atendidos 69 municípios: 40 no Amazonas, 11 em Goiás e 18 no Paraná. Com esses primeiros investimentos, mais de 18 mil famílias (13,7 mil no Amazonas, 2,6 mil em Goiás e 1,8 mil no Paraná) serão beneficiadas com a construção ou ampliação de sistemas de abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto e melhorias sanitárias domiciliares.

A inadequação das condições de saneamento pode provocar doenças como a cólera, a esquistossomose, o tracoma, a febre tifóide, a leptospirose, a hepatite, as doenças diarréicas, entre outras.

No período de 1995 a 1999, 3,4 milhões de pessoas no Brasil foram internadas no Sistema Único de Saúde (SUS) com doenças relacionadas à deficiência de saneamento.

O saneamento adequado pode reduzir em pelo menos 80% dos casos de febre tifóide e paratifóide, e em até 70% os registros de tracoma e esquistossomose, além de prevenir em 50% os casos de diarréia, amebíase, gastroenterite e infecções cutâneas.

Projeto - Lançado em julho do ano passado, o Projeto Alvorada promove nas regiões de menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) programas para geração de renda, acesso à educação e melhoria das condições de saúde.

Com base no IDH, o governo federal identificou municípios em 23 estados que detêm índice menor ou igual a 0,500, considerado de baixo desenvolvimento humano pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Para atingir os objetivos do Projeto, foram selecionados 15 programas das áreas de educação, saúde e renda, que vão receber cerca de R$ 13,2 bilhões até 2002.

Além dos estado de Amazonas, Goiás e Paraná, já foram assinados convênios nos estados de Sergipe, Pernambuco, Ceará, Maranhão, Rio Grande do Norte, Paraíba, Mato Grosso, Alagoas e Pará.

Ações - No dia 20 de fevereiro, foi anunciado o investimento de R$ 1,3 bilhão em saneamento básico em todo o país. O mesmo valor será investido em 2002, totalizando R$ 2,6 bilhões. Trata-se do maior investimento federal, não oneroso, já feito nesta área.

Em 2001, a meta é beneficiar quase 1,3 milhão de famílias com abastecimento de água (706 mil famílias), coleta e tratamento de esgoto (244 mil famílias) e melhorias sanitárias domiciliares (294 mil famílias).

Copyright © 2001 eHealth Latin America

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: