Publicidade

Notícias de saúde

OMS elabora primeiro tratado internacional contra o fumo

São Paulo, 02 de maio de 2001 (eHealthLA). A Organização Mundial da Saúde (OMS) iniciou esta semana as negociações para chegar a um acordo do primeiro tratado internacional pela redução do fumo.

Delegados de aproximadamente 190 países tentam chegar a um denominador comum sobre as formas de livrar o mundo do cigarro. Segundo informaram representantes da OMS, o objetivo final é proteger as gerações presente e futura das conseqüências devastadoras do consumo de exposição ao tabaco para a saúde, o ambiente e a economia. Segundo dados internacionais, cerca de 4 milhões de pessoas morrem todos os anos de doenças relacionadas ao tabaco.

Convenção-Quadro sobre o Controle de Tabaco(CQCT)

Diante dos números alarmantes, a OMS espera que o Convenção-Quadro sobre o Controle de Tabaco (CQCT), elaborado em Genebra, em outubro do ano passado, entre efetivamente em vigor até 2003. O projeto prevê restrições severas à publicidade de cigarro e exige a eliminação gradual de patrocínios de eventos esportivos por empresas de tabaco, como por exemplo, as corridas de Fórmula 1.

Segundo especifica o projeto, as indústrias do tabaco, que vem enfrentando processos por vítimas do câncer nos Estados Unidos, serão consideradas responsáveis pelos prejuízos que seus produtos causam à saúde pública e ao ambiente. Além disso, os Estados decidirão individualmente se tomarão providências judiciais contra as companhias.

Os governos também se comprometeriam a usar o preço como uma arma para a redução do hábito de fumar, alinhando os custos dos cigarros mundo afora, tanto para impedir que jovens adotem o cigarro, quanto para prevenir o contrabando.

Números e dependência

O cigarro causa 30 por cento de todos os tipos de câncer e dos casos de infarto. É responsável ainda por 80 por cento dos enfisemas (acúmulo de ar nos pulmões) e 25 por cento dos acidentes vasculares cerebrais. Por tudo isso, o fumante perde, em média, dez anos de vida.

A estimativa da OMS é que nas próximas décadas 500 milhões de pessoas morrerão por causa desse vício. Segundo a cardiologista Jaqueline Issa do Instituto do Coração (Incor), em São Paulo, as principais armas do Ambulatório de Tabagismo da Instituição são a informação e amostras grátis de medicamentos livres de prescrição médica, como gomas de mascar e adesivos de nicotina utilizados como terapia auxiliar nos tratamentos contra o cigarro.

"Esses mecanismos funcionam como uma anestesia quando se tira dente. Eles diminuem os transtornos, mas só cumprem sua função se foram utilizados da maneira correta", explica a médica.

Copyright © 2001 eHealth Latin America

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: