Publicidade

Notícias de saúde

Criança Gasta Mais Tempo na Frente da TV Do Que na Aula

NOVA YORK (Reuters Health) - Colocar seu filho na frente da TV pode parecer uma boa forma de ter algum alívio. Mas, de acordo com um crescente número de pesquisas, isso pode causar mais problemas a longo prazo.

Estudos demonstram que o uso da TV como uma babá pode levar à violência, ao abuso de substâncias e à obesidade.

"Crianças e adolescentes são especialmente vulneráveis às mensagens comunicadas através da televisão, o que influencia suas percepções e seus comportamentos", explica Miriam E. Bar-on, professora da Escola de Medicina Stritch, da Universidade Loyola, em Maywood, Illinois.

"Muitas crianças menores não conseguem discernir entre o que elas vêem e o que é real", acrescentou a professora.

A revisão de estudos, publicada na edição atual de Archives of Disease in Childhood, destaca que crianças e adolescentes passam mais tempo em frente à televisão do que na sala de aula.

Na verdade, muitas terão gasto mais de três anos assistindo à televisão quando completarem o ensino médio. E as lições aprendidas vendo TV podem ser prejudiciais à saúde infantil. Por exemplo, normalmente, violência, cigarros e álcool são glamurizados na televisão.

Também tem se demonstrado que a televisão afeta os hábitos alimentares de pessoas jovens. Nas últimas três décadas, o número de pessoas assistindo TV aumentou, assim como o peso das crianças norte-americanas.

Na verdade, diversos estudos apontam a TV como a causa da obesidade infantil.

Além disso, o número de cenas sexuais que ocorrem em programas de TV durante o horário de maior audiência (entre as 20 e 21 horas da noite) aumentou mais de quatro vezes desde 1976. Antigamente, esse horário foi descrito como a "hora familiar".

Bar-on destaca que a Academia Americana de Pediatria incentiva pais a ter um papel mais ativo nos hábitos televisivos de seus filhos. Especificamente, os pais devem assistir TV com seus filhos, ajudá-los a escolher os programas, ensiná-los a assistir com olhar crítico e limitar o tempo em frente à televisão.

Os médicos podem ajudar a minimizar os efeitos nocivos da TV educando-se sobre os riscos à saúde pública, perguntando aos pais sobre os hábitos televisivos de seus filhos e defendendo programas educacionais de mídia nas escolas.

"É importante que pediatras e pais implementem, em conjunto, campanhas e estratégias", conclui a pesquisadora. "O efeito em crianças e adolescentes e na comunidade será muito maior com um esforço conjunto.

Sinopse preparada por Reuters Health

Copyright © 2000 Reuters Limited. All rights reserved. Republication or redistribution of Reuters Limited content, including by framing or similar means, is expressly prohibited without the prior written consent of Reuters Limited. Reuters Limited shall not be liable for any errors or delays in the content, or for any actions taken in reliance thereon.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: