Publicidade

Artigos de saúde

Hipertensão Arterial: O Que é Isso?

© Equipe Editorial Bibliomed

Neste Artigo:

- O Coração é Uma Bomba
- Complicações da HAS
- Seu Risco de Ter Complicações
- Tratamentos
- Como se Cuidar

"Para ficar bem claro: primeiro imagine a água correndo dentro de uma mangueira, depois imagine essa água passando com muita força. A pressão exercida sobre a mangueira será maior. O mesmo ocorre com o sangue passando dentro de nossas artérias e veias (os vasos sanguíneos, que funcionam como um sistema de mangueiras dentro do nosso organismo). Se ele passar com muita força, a pressão sanguínea será maior. É o que os médicos chamam de Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS)".

O Coração é Uma Bomba

Para o sangue circular dentro do sistema de "mangueiras" do nosso organismo, ele precisa ser "empurrado", isto é: bombeado. O responsável por isso é o coração. No momento em que o coração bombeia o sangue para dentro dos vasos, mede-se a pressão sistólica (diz-se que há hipertensão sistólica quando esta medida é superior a 140 mmHg). No momento em que ele relaxa, para ser novamente preenchido com o sangue que retorna dos vasos, mede-se a pressão diastólica (diz-se que há hipertensão diastólica quando esta medida é superior a 90mmHg). Lembre-se: se você apresentou uma medida de pressão alta, não significa que você tenha Hipertensão Arterial. É necessário um acompanhamento médico para ser dado o diagnóstico de Hipertensão Arterial.

Complicações da HAS

O sistema circulatório (coração e vasos sanguíneos), após alguns anos sofrendo a forte pressão exercida pelo sangue, acaba sendo lesado. Outros fatores, como tabagismo, diabetes e hipercolesterolemia, podem aumentar estas lesões gerando várias complicações.

As mais conhecidas delas são:

• Aterosclerose: pode ser provocada pela HAS, pela diabetes, pela hipercolesterolemia, pela idade e por outros fatores. Consiste da lesão da parede interna dos vasos (o lado de dentro da mangueira), formando uma espécie de "ferimento" neste local, que vai aos poucos aumentando. Algumas vezes, fragmentos desta lesão se desprendem, "entupindo" vasos mais estreitos que encontram pela frente. Outras vezes, a lesão cresce e obstrui o vaso ali mesmo, naquele local. Assim se formam os "fenômenos tromboembólicos". Outras vezes, essas lesões vão, de maneira imperceptível, alterando as paredes dos vasos, deixando-as rígidas em alguns locais e/ou mais alargadas em outros.

• Acidente Vascular Cerebral (AVC): mais conhecido como derrame. Ocorre quando os vasos sanguíneos do nosso cérebro, já alterados pelas lesões descritas acima, se rompem ou são obstruídos.

• Infarto Agudo do Miocárdio: as lesões nas coronárias (vasos responsáveis por levar sangue com oxigênio para alimentar o coração) acabam atrapalhando a irrigação cardíaca, de uma forma similar àquela que ocorre no cérebro. Quando isso ocorre, o pedaço do coração que ficou sem oxigênio morre (e o coração nem sempre dá conta de bater sem esse pedaço).

• Insuficiência Cardíaca: primeiro, o coração começa a crescer, para dar conta de bombear o sangue, que está correndo com mais força. À medida que os vasos sanguíneos vão se alterando, a força demandada passa a ser ainda maior. Chega um momento em que o coração não dá mais conta de crescer nem de bombear o sangue , que começa a ficar "represado" no pulmão (provocando falta de ar e cansaço), e nas pernas (que passam a ficar inchadas).

· Insuficiência Renal: algumas substâncias produzidas pelo organismo precisam ser eliminadas. Essas substâncias saem pela urina, junto com certa quantidade de água que foi filtrada pelo sangue. A filtração é um processo complexo que ocorre entre vasos sanguíneos e túbulos renais, e que fica comprometida pela lesão destes vasos.

Seu Risco de Ter Complicações

Se você é hipertenso, seu médico vai solicitar, periodicamente, mesmo que você não esteja sentindo nada, exames para avaliar a evolução da doença, ajudando a detectar e a prevenir possíveis complicações futuras. São vários exames, como o eletrocardiograma, a radiografia de tórax, o holter e outros, que devem, cada um deles, ser realizados na época em que o médico julgar adequada.

O significado das medidas de pressão sanguínea, isoladas, como indicadoras da evolução da doença (o que os médicos chamam de prognóstico) são relativos e dependem da idade. Alguns estudos têm sugerido que a Hipertensão Diastólica persistente seja mais importante na avaliação dos indivíduos de meia idade, enquanto a Sistólica e a pressão de pulso (que é a diferença entre Sistólica e Diastólica) seriam mais importantes no idoso. Isso reflete diferenças da relação entre organismo e doença em cada uma das faixas etárias.

Lembre-se: muitos fatores, grande parte deles controláveis se você seguir o que seu médico manda, contribuem para esta progressão. Portanto, se você faz um controle adequado da pressão, seguindo corretamente as orientações do seu médico e tomando da forma certa os medicamentos por ele recomendados, seu risco de apresentar complicações futuras é menor.

Tratamentos

Antes de iniciar qualquer medicamento, seu médico vai te orientar a:

• diminuir o sal e a gordura da comida.

• parar de fumar.

• fazer exercícios físicos: no mínimo meia hora de exercícios aeróbicos três vezes por semana. (Caso você já apresente complicações cardíacas da Hipertensão, o inicio dos exercícios terão que ser avaliados com o médico).

• perder peso, caso você esteja com mais quilos que o ideal para sua altura. Você descobre seu peso ideal ao dividir seu peso atual pelo quadrado de sua altura. Sendo o resultado superior a 25, você precisa ficar atenta ao que come.

• Caso você tenha diabetes, terá que tomar um maior cuidado com a glicemia.

Se, com tudo isso, sua pressão permanecer alta após alguns meses, deve ser iniciado o tratamento medicamentoso. Existem várias classes de anti-hipertensivos, sendo cada uma mais adequada para determinados pacientes e situações. Lembre-se: os mecanismos da Hipertensão são vários, e se estabelecem de formas diferentes em cada indivíduo. Portanto, nunca tente se tratar tomando medicamentos que foram indicados para seus amigos ou familiares. Isso pode piorar a sua situação.

Como se Cuidar

• O paciente com HAS não tem sintomas. Ao contrário do que muita gente pensa, cefaléia, zumbido ou outras alterações só ocorrem em pacientes muito graves, que já estão apresentando complicações da doença.

• Não se sabe ao certo a causa da HAS, mas na maioria dos casos ela tem relação familiar. Por isso, se alguém de sua família é hipertenso, se você próprio já teve alguma medida de Pressão Arterial superior ao normal, ou se você é obeso, faça medidas periódicas da sua pressão.

• Se você já sabe que tem hipertensão, siga corretamente as orientações do seu médico.

Copyright © Bibliomed, Inc. 24 de setembro de 2013.



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: