Publicidade

Artigos de saúde

Doença de Crohn – o que é?

© Equipe Editorial Bibliomed

Neste Artigo:

- O que é a doença de Crohn?
- O que quer dizer crônico?
- Quais os tipos de acometimento da doença de Crohn?
- Quem desenvolve a doença de Crohn?
- Existe alguma ligação genética?

O que é a doença de Crohn?

A doença de Crohn recebeu esse nome pois foi primeiramente descrita por um gastroenterologista chamado Burrill B. Crohn, em 1932, demonstrando as características de uma doença que hoje leva seu nome. A doença de Crohn e a colite ulcerativa, outra doença associada, são as duas principais representantes de um grupo de doenças denominadas de "Doenças Inflamatórias Intestinais". As duas doenças podem causar diarréia (às vezes com presença de sangue), bem como dor abdominal. Como os sintomas dessas duas doenças são muito parecidos, às vezes é muito difícil diferenciar as duas. De fato, aproximadamente 10% dos casos acabam não sendo classificados como nenhum dos dois tipos.

Enquanto a colite ulcerativa limita-se a acometer o cólon, ou intestino grosso, a doença de Crohn pode acometer qualquer porção do trato gastrintestinal, desde a boca até o ânus. No entanto, os locais mais acometidos são a porção final do intestino delgado e a inicial do intestino grosso. Todas as camadas da parede intestinal são acometidas, podendo também existir regiões de mucosa intestinal normal, entre as áreas doentes. Pelo contrário, a colite ulcerativa tem distribuição mais contínua, sem áreas normais entremeadas, além de acometer apenas a camada mais interna da parede do intestino.

O que quer dizer crônico?

Não se sabe exatamente o que causa a doença de Crohn e a colite ulcerativa. Além disso, não se pode predizer com exatidão como a doença – a partir do momento em que o diagnóstico é feito – afetará uma pessoa, em particular. Alguns pacientes viverão anos sem apresentar nenhum sintomas, enquanto outros apresentam períodos de recaída freqüentes. No entanto, uma coisa é certa: a doença de Crohn, bem como a colite ulcerativa, é uma condição crônica.

Uma doença crônica é uma condição progressiva. Esse tipo de doença pode ser controlado com o emprego do tratamento, porém não pode ser curado. Isso significa que a doença é de longa duração, porém não implica que ela seja fatal. E, de fato, a doença de Crohn não o é. Muitos pacientes portadores de doença de Crohn levam uma vida completamente normal e produtiva.

Quais os tipos de acometimento da doença de Crohn?

Os sintomas e potenciais complicações da doença de Crohn diferem, dependendo de qual região do trato gastrintestinal está acometida pelo processo inflamatório. Por isso é importante que o paciente saiba qual parte de seu trato gastrintestinal está acometida pela doença. A seguir, apresentamos os cinco tipos de acometimento pela doença de Crohn:

- Ileocolite: é a forma mais comum da doença de Crohn, afetando a porção final do intestino delgado e a inicial do intestino grosso. Os sintomas incluem diarréia, cólica ou dor abdominal em região inferior direita do abdome, ou na região mediana. Frequentemente, esse tipo da doença se acompanha de perda importante de peso corporal.

- Ileíte; esse tipo da doença acomete apenas a região terminal do intestino delgado. Os sintomas são os mesmos que os do tipo anterior. Complicações desse tipo da doença incluem a formação de fístulas (canais de comunicação entre cavidades ou entre cavidades e o meio externo) ou abscessos na região inferior direita do abdome.

- Doença de Crohn Gastroduodenal: afeta o estômago e o duodeno (porção inicial do intestino delgado). Os sintomas são de perda do apetite, perda de peso e náuseas. A ocorrência de vômitos pode indicar que os segmentos mais estreitos do intestino podem estar obstruídos.

- Jejunoileíte: acomete principalmente a primeira metade do intestino delgado, com várias áreas de inflamação. Os sintomas são de dor abdominal (de leve a intensa) e cólicas após a alimentação, bem como diarréia. Nesse tipo, também pode ocorrer a formação de fístulas.

- Colite de Crohn: afeta apenas o intestino grosso. Sintomas são diarréia, sangramento pelo ânus e acometimento da região perianal (abscessos, úlceras, fístulas). Lesões de pele e dor nas articulações são mais comuns nessa forma da doença do que nas outras.

Quem desenvolve a doença de Crohn?

Estima-se que até 1,4 milhões de norte-americanos sofram de algum dos dois tipos de doença inflamatória intestinal. Esse número é dividido igualmente entre as duas doenças.

  • A cada ano, cerca de 30.000 novos casos de doença inflamatória intestinal são diagnosticados;
  • Muitas pessoas com diagnóstico de doença de Crohn são jovens, com idade entre 15 e 35 anos;
  • No entanto, a doença de Crohn também pode ocorrer em pessoas com idade igual ou superior a 70 anos, bem como em crianças mais novas. De fato, 10% dos pacientes com essa doença apresentam idade inferior a 18 anos;
  • A doença afeta homens e mulheres, na mesma freqüência;
  • Parece que os indivíduos caucasianos (brancos) e judeus apresentam um risco maior de desenvolver doença de Crohn;
  • Tanto da doença de Crohn quanto a colite ulcerativa são doenças encontradas principalmente em países desenvolvidos, mais comumente em áreas urbanizadas, em comparação às áreas rurais. Além disso, a doença parece ser mais comum em climas do norte do que nos climas do sul.

Existe alguma ligação genética?

Os pesquisadores descobriram que a doença de Crohn tende a ocorrer mais frequentemente na mesma família. De fato, até 20% dos pacientes portadores de doença de Crohn apresentam um parente de primeiro grau (pai, mãe, irmão, primo ou outro parente mais próximo) com diagnóstico de doença de Crohn ou de colite ulcerativa.

Assim, fatores genéticos claramente possuem um papel. Os pesquisadores vêm trabalhado ativamente, há algum tempo, com o objetivo de encontrar alguma ligação com genes específicos, os quais controlariam a transmissão da doença de Crohn.

Recentemente, um grupo de estudiosos das doenças inflamatórias intestinais fez um grande progresso ao identificar o primeiro gene associado à doença de Crohn. Eles encontraram uma mutação anormal ou alteração, em um gene conhecido como NOD2. Essa mutação, que limita a capacidade de o organismo lutar contra bactérias, ocorre duas vezes mais frequentemente entre os pacientes com doença de Crohn do que na população geral.

Porém, atualmente não dispomos de método de rastreamento populacional para essa mutação. Além disso, não sabemos como prever quais indivíduos desenvolverão a doença. Também parece que mais de um gene esteja envolvido. Graças às novas tecnologias, no entanto, os pesquisadores em breve chegarão a esses tais genes.

Copyright © 2008 Bibliomed, Inc.                                          13 de março de 2008.



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: