Publicidade

Artigos de saúde

Acne: mitos e verdades

© Equipe Editorial Bibliomed

Neste artigo!

- Dá para curar a acne
- A acne é pior na adolescência.
- Mulheres que não menstruam direito têm mais acne.
- O estresse piora a acne.
- O sol ajuda a melhorar a acne.
- Quanto mais sexo, mais acne.
- Pizza, chocolate e outras "guloseimas" podem causar surtos de acne.
- Exercício ajuda a melhorar a acne.
- Pasta de dente ajuda.
- É bom manter o rosto sempre limpo.
- Zinco é bom.
- Tomar antibiótico é bom.
- Espremer melhora.
-
Usar cosméticos não tem nada a ver com a acne.

Calcula-se que 80% das pessoas sofram de algum grau de acne em algum momento de suas vidas. Existem mais de 50 tipos de acne, mas a forma mais comum é chamada – lógico – de acne vulgaris. As causas variam: bactérias, genes, hormônios, fatores locais dos poros, etc.

Apesar das extensas pesquisas realizadas sobre o assunto, alguns mitos persistem e sempre há uma ponta de dúvida quando nada parece funcionar. Nestas horas, é bom separar o mito do fato. Faça o teste abaixo e veja quantas questões você é capaz de acertar:

Dá para curar a acne.

Falso.

A acne não é curável, ao contrário do apregoado em tantos anúncios de produtos para pele. Contudo, utilizando remédios adequados e seguindo uma dieta balanceada é possível controlar o avanço ou prevenir o desenvolvimento da doença.

A acne é pior na adolescência.

Verdadeiro.

A acne é uma doença das glândulas sebáceas da pele decorrente da obstrução dos poros, com surgimento de lesões conhecidas popularmente por espinhas. As lesões da acne geralmente ocorrem na face (mais comum), pescoço, dorso, tórax e ombros. Apesar de não ser uma séria ameaça à saúde, as cicatrizes permanentes podem desfigurar uma pessoa e serem motivo de ansiedade. A relação exata entre acne e adolescência é desconhecida, as variações hormonais típicas do período fazem com que as glândulas sebáceas aumentem seu tamanho em até três vezes – e esta pode ser uma pista valiosa.

Mulheres que não menstruam direito têm mais acne.

Verdadeiro.

Em algumas mulheres, a acne persistente é causada pela produção excessiva de andrógenos e isto pode ser diagnosticado a partir de alguns sinais, como: acne de início na idade adulta, hirsutismo (crescimento excessivo de pêlos em lugares onde antes não existiam), acne que piora no período pré-menstrual, ciclos menstruais irregulares e níveis sanguíneos elevados de certos andrógenos.

O estresse piora a acne.

Verdadeiro.

O estresse realmente pode agravar a acne em alguns indivíduos. Manter um padrão regular de sono é importante no controle da doença.

O sol ajuda a melhorar a acne.

Falso.

A princípio, o sol mascara a acne, desidratando as glândulas da pele, e parece melhorar o quadro geral. Contudo, o sol também danifica os folículos e causa entupimento dos poros, resultando em mais acne – este efeito em geral surge 3-4 semanas após exposição à luz solar.

Quanto mais sexo, mais acne.

Falso.

Um dos mitos mais famosos relaciona atividade sexual ao agravamento da acne. Isto, obviamente, não possui qualquer fundamento. Na verdade, o sexo pode reduzir os níveis de estresse e com isto diminuir a acne.

Pizza, chocolate e outras "guloseimas" podem causar surtos de acne.

Falso.

Menos de 2% dos casos de acne decorre de alergias alimentares. Na maioria das pessoas, porém, não existe uma associação específica entre determinados alimentos e acne - o que existe é uma relação entre acne e ingestão calórica. Dietas hipercalóricas aumentam os níveis de testosterona e a testosterona aumenta a produção de secreção nas glândulas da pele - que posteriormente se transformarão em lesões da acne.

Uma boa nutrição ajuda a manter a pele saudável. Alguns cientistas afirmam que cafeína e alimentos excessivamente salgados podem agravar a acne em certos indivíduos. Ainda, recomenda-se ingerir pouca gordura e pouco açúcar, aumentando a quantidade de frutas e vegetais – uma dieta rica em fibras vegetais e pobre em gorduras é excelente para a saúde do corpo como um todo. E beba bastante água – oito copos diários são o mínimo recomendado.

Exercício ajuda a melhorar a acne.

Verdadeiro.

Exercitar-se faz bem para a saúde, melhora a circulação sanguínea e oxigena melhor os órgãos do corpo – inclusive a pele, o maior deles. Tome apenas o cuidado de lavar o rosto após os exercícios para remover o suor e a secreção oleosa que contêm bactérias.

Pasta de dente ajuda.

Falso.

Aplicar pasta de dente nas lesões antes de dormir, à noite, faz parte da rotina de muitas pessoas portadoras de acne. A pasta desidrata as lesões. Os pesquisadores dizem, porém, que o flúor presente nos cremes dentais causam espinhas e podem irritar ainda mais o local da aplicação. A escolha é sua.

É bom manter o rosto sempre limpo.

Verdadeiro.

Mas deve-se tomar cuidado com a "limpeza". Não lave exageradamente, uma vez que a pele precisa de um nível específico de pH para manter-se saudável. É importante observar que a acne não é causada unicamente por pele "suja", mas resulta de poros obstruídos infectados com bactérias – e isto é causado por uma série de fatores, não apenas sujeira. Limpar o rosto muitas vezes não é o suficiente para evitar a acne. Além disso, limpar erradamente pode agravar a doença.

O recomendado: lave seu rosto duas ou três vezes por dia, no máximo, desde o queixo até a linha de cabelos na parte superior da testa, com movimentos circulares e delicados. Enxágüe com bastante água morna e utilize uma toalha macia para secar a pele. Não utilize buchas ou esponjas.

A escolha adequada do sabonete é crucial. Sabonetes detergentes ajudam a diminuir a produção de sebo, mas em alguns casos podem piorar a doença. Via de regra, recomenda-se o uso de sabonetes leves. Não se recomendam adstringentes, a menos que a pele seja extremamente oleosa. Caso eles sejam recomendados, utilize-os apenas sobre os pontos mais oleosos.

Zinco é bom.

Verdadeiro.

O zinco é um mineral que tem mostrado resultados extremamente eficientes em vários estudos científicos – seu efeito pode ser comparado ao da tetraciclina. Mas cuidado: altas doses de zinco (acima de 100 mg de zinco por dia) são tóxicas. Recomenda-se uma ingestão diária de 50 mg, mas os resultados podem levar até 3 meses para aparecer. A acne pode piorar antes de mostrar sinais de melhora. O zinco não é a cura definitiva da acne, mas consegue bons índices de resposta em até 75% dos casos.

Tomar antibiótico é bom.

Verdadeiro, mas depende do caso.

Casos de acne moderada ou acentuada geralmente necessitam antibióticos por via oral para controlar a inflamação e a proliferação de Propionibacterium acnes (um tipo de bactérias normalmente presente na pele).

Algumas pessoas apresentam efeitos colaterais com o uso destes antibióticos, tais como sensibilidade exagerada à luminosidade, queimação no estômago, tonteira ou descoloração da pele, entre outros.

Não se deve administrar tetraciclina (um dos antibióticos comumente utilizados no tratamento da acne) a gestantes ou crianças com menos de 12 anos de idade, pois este medicamento pode causar descoloração dos dentes em desenvolvimento.

O tratamento com antibióticos geralmente leva de 4 a 6 meses para mostrar seus resultados mais definitivos e deve sempre ser realizado sob acompanhamento médico.

Espremer melhora.

Falso.

Em hipótese alguma esprema suas espinhas – isto só aumenta o risco de cicatrizes indesejáveis. Além disso, não colocar as mãos nos rosto talvez seja o remédio mais menosprezado na história do tratamento da acne. As mãos são uma fonte interminável de bactérias. Evitar este contato é especialmente difícil – em geral ele ocorre de maneira inconsciente – mas não menos importante que todos os outros remédios e "simpatias" que você utiliza.

Usar cosméticos não tem nada a ver com a acne.

Falso.

Cosméticos oleosos (p.ex.: batons) podem causar comedos, as lesões precursoras da acne. Produtos capilares como laquês, quando em contato com a pele, podem causar queimação ou prurido nas pessoas com acne, piorando a doença.

Copyright © 2008 Bibliomed, Inc. 06 de outubro de 2008

 



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: