Publicidade

Artigos de saúde

Artrite Reacional

© Equipe Editorial Bibliomed

Neste Artigo:

- Quais as manifestações da Artrite Reacional?
- O que causa a Artrite Reacional?
- Quais os fatores de risco?
- Quando procurar um médico?
- Como é feito o diagnóstico?
- Quais são as complicações?
-
Como é feito o tratamento?

A Artrite Reativa é uma doença inflamatória das articulações que se desenvolve como resposta à infecção em outra parte do corpo. Em alguns casos, as manifestações da Artrite Reacional podem simular uma Artrite Reumatóide.

Quais as manifestações da Artrite Reacional?

Os principais sinais e sintomas associados à Artrite Reacional incluem:

  • Artrite, mais comum nos tornozelos, joelhos, pés e quadris
  • Inflamação nas vias urinárias (uretrite): a pessoa tem necessidade de urinar a todo o momento, quase sempre com uma sensação de queimação no canal urinário ou presença de secreções anormais.
  • Inflamação dos olhos (conjuntivite)
  • Aftas na boca
  • Vermelhidão na pele
  • Inflamações nos tendões (tendinite)
  • Dores na região lombar
  • Inflamação das vértebras (espondilite)
  • Febre
  • Perda de peso
  • Inflamação da próstata (prostatite) ou colo do útero (cervicite)

Os sinais e sintomas da Artrite Reacional em geral se iniciam alguns dias ou semanas após a exposição a uma infecção. As manifestações podem aumentar e diminuir durante várias semanas ou meses e não é raro ver pessoas que sofrem de Artrite Reacional levarem um tempo considerável até descobrirem o que as está afetando.

A Síndrome de Reiter é um tipo de Artrite Reacional, caracterizada por artrite, conjuntivite e inflamação do canal urinário.

O que causa a Artrite Reacional?

Esta forma de artrite se desenvolve como uma resposta à infecção em outras partes do corpo, em geral no aparelho digestivo ou geniturinário. Muitas pessoas não percebem a infecção inicial, e nem sempre a intensidade da infecção está relacionada à gravidade da artrite reacional – e vice-versa.

A Artrite Reacional não é contagiosa. Contudo, a bactéria responsável pela infecção inicial pode ser transmitida de uma pessoa para outra (p.ex.: a clamídia, responsável por infecções geniturinárias e associada a muitos casos de artrite reacional, pode ser transmitida através do contato sexual). Felizmente, apenas um pequeno número de pessoas expostas a estas bactérias termina desenvolvendo artrite reacional.

Quais os fatores de risco?

Dois fatores principais podem aumentar seu risco para artrite reacional: atividade sexual e características hereditárias.

A artrite reacional é mais comum em homens entre os 20 e 40 anos de idade. Os especialistas acreditam que isto ocorre pelo fato dos homens desenvolverem artrite reacional com maior freqüência que as mulheres quando acometidos por doenças sexualmente transmissíveis.

Muitas pessoas que desenvolvem artrite reacional possuem certos marcadores moleculares na superfície de suas células, sugerindo um componente hereditário para a doença. O principal marcador genético é chamado HLA-B27. Contudo, nem toda pessoa portadora deste marcador irá desenvolver artrite reacional – possuir o HLA-B27 significa apenas que você possui um risco maior para este tipo de artrite caso se infecte por certas bactérias.

Quando procurar um médico?

Sempre que você perceber sinais e sintomas sugestivos de artrite.

Como é feito o diagnóstico?

Inicialmente, seu médico deverá realizar um exame físico completo, checando cuidadosamente as articulações e examinando a pele e os olhos em busca de sinais de inflamação.

Não existem testes laboratoriais específicos para determinar a presença da Artrite Reacional. Ao invés disso, após o exame físico, seu médico poderá solicitar alguns testes para excluir doenças que podem simular um episódio de artrite reacional (p.ex: culturas e sorologias para detectar a presença de certas bactérias, provas de atividade reumática, radiografias e testes genéticos).

Quais são as complicações?

Os sinais e sintomas da artrite reumatóide podem durar 3 a 12 meses. Contudo, muitas pessoas podem controlar as manifestações da doença com o tratamento adequado, retomando suas atividades habituais poucas semanas após o início da crise.

Metade das pessoas com artrite reacional desenvolve recorrência dos sintomas após a resolução da primeira crise. Provavelmente, isto se deve a reinfecção pela mesma bactéria responsável pelo desenvolvimento da artrite reacional. Durante as recorrências, além da artrite, muitas pessoas podem se queixar de dores na região lombar, inflamação nos olhos ou no canal urinário.

Aproximadamente 1 de cada 5 pessoas afetadas pela artrite reacional desenvolve artrite crônica leve. A gravidade da primeira crise de artrite reacional não possui relação com o risco de desenvolver a forma crônica da doença

Outras possíveis complicações da artrite reacional incluem Uveíte (inflamação da camada intermediária dos olhos, pode resultar em cegueira permanente), arritmias cardíacas e problemas nas válvulas do coração.

Como é feito o tratamento?

O objetivo do tratamento é reduzir os sintomas e tratar as infecções bacterianas que podem estar presentes.

O tratamento dos sintomas é feito principalmente com medicamentos antiinflamatórios e corticóides, mas algumas pessoas com inflamações mais severas podem necessitar medicamentos de maior potência, como os inibidores do Fator de Necrose Tumoral (FNT).

Os inibidores do FNT já são empregados no tratamento da artrite reumatóide, com excelentes resultados, e podem ser indicados para os casos refratários ou graves de artrite reacional.

A fisioterapia é útil para manter a estabilidade e preservar o funcionamento das articulações.

Copyright © 2009 Bibliomed, Inc.

19 de fevereiro de 2009



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: