Publicidade

Artigos de saúde

Paracentese, exame de líquido ascítico, paracentese abdominal, análise de líquido peritoneal

Material a ser analisado: líquido obtido por punção da cavidade abdominal.

Objetivos do exame: estabelecer a causa de acumulo de líquido anormal, no abdômen, cuja presença tenha sido determinada pelo exame físico ou radiografia. Como tratamento, retirar o líquido do abdômen, o que diminui a sensação incomoda, restaura o apetite e melhora a função gastrintestinal.

Confiabilidade do exame: boa.

Tempo gasto para obter o material: 5 a 20 minutos.

Preparação do paciente: Jejum de sólidos e de líquidos, durante pelo menos 12 horas. O paciente deverá esvaziar sua bexiga imediatamente antes do exame.

Tempo necessário para obter resultados: 24 a 72 horas.

Técnica usada: É possível determinar a causa da ascite (acúmulo de líquido, nos espaços, entre os tecidos e órgãos do abdômen), analisando se a composição química do líquido.

Por exemplo, a presença de bactérias ou de grandes quantidades de células inflamatórias, pode demonstrar a presença de uma infecção, enquanto que, o sangue na ascite, pode ser causado por um trauma, ou câncer. Em algumas ocasiões, podem se observar células cancerosas, nos exames de líquido ascítico.

Método utilizado para obter resultados:

O paciente é colocado em decúbito dorsal, e após uma pequena anestesia local, é inserida uma agulha, através da pele do abdômen. Mediante a orientação de uma tomografia ou de uma ultra-sonografia, a ponta da agulha é direcionada até o líquido acumulado, do qual se extrai uma amostra, ou uma quantidade maior, para promover um alivio da tensão.

Alguns tubos são enviados ao laboratorio de patologia e outros para cultura bacteriológica e exame químico.

Resultados: A coagulação do líquido pode indicar uma infecção bacteriana, enquanto que o líquido sanguinolento pode ser causado por câncer ou inflamação do pâncreas.

Um valor elevado de proteínas, no líquido ascítico, pode significar infecção, ou câncer; níveis de glicose correspondentes a menos da metade dos níveis plasmáticos podem indicar uma infecção; uma concentração alta de amilase (enzima secretada pelo pâncreas), indica doença pancreática; e níveis altos de células leucocitarias, podem ser conseqüentes a infecção, câncer, ou infamação do pâncreas.

Fatores que podem alterar os resultados: As cicatrizes abdominais, ou mais especificamente, as aderências a distintas vísceras, podem seqüestrar o líquido e tornam difícil a obtenção de uma amostra. Bílis, urina, fezes ou sangue do local da punção ou dos vasos sanguíneos pode interferir na análise da amostra.

Precauções: Logo após o término da punção, deve se aplicar uma leve pressão sobre o local puncionado. Caso persista a drenagem de líquidos, o paciente deve permanecer em repouso na cama, até que cesse a saída de líquidos. Devem ser controlados os sinais vitais durante as três horas subseqüentes. Quando houver uma retirada muito grande de líquido ascítico, o controle da pressão arterial deverá ser prolongado por mais tempo.



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: