Publicidade

Artigos de saúde

Acne: inimiga da aparência feminina

Nesta Reportagem:

- O Que é Acne e Como ela Atinge a População
- Incidência
- Tipos de Acne
- Alimentação não Influi
- Tratamentos
- Novos e Velhos Medicamentos
- Veja Outros Artigos Relacionados ao Tema


"A acne é talvez um dos maiores inimigos da aparência feminina, mesmo depois da adolescência. Se na puberdade ela atinge mais os homens, na fase adulta a mulher é sua maior vítima. Os tratamentos para o problema, no entanto, vão desde os mais simples até os mais radicais. Com o auxílio médico é perfeitamente possível manter este mal sob controle"

O Que é Acne e Como ela Atinge a População

A acne mais comum é a conhecida como vulgar ou juvenil, e afeta 80% dos adolescentes, merecendo muita repercussão na Internet. No Brasil, diversos sites de clínicas estéticas e dermatológicas dão informações sobre o problema e existem sites específico apenas para falar de acne.

De acordo com estes sites e com base em entrevistas com médicos, é possível definir a acne como sendo uma afecção que atinge o conjunto pilossebáceo, formado pelo pêlo e pela glândula sebácea. A acne é conhecida pelo conjunto formado pela pele oleosa com comedões, cravos, cistos, espinhas, pápulas, nódulos, hiperpigmentação pós-inflamatória, cicatrizes e quelóides. "A acne não é um problema cosmético, mas sim uma doença com repercussões cosméticas", acrescenta o site português.

Em outras palavras, buscamos as definições do Dicionário de Medicina Natural, publicado pela Reader´s Digest, o sebo, substância oleosa produzida pelas glândulas sebáceas, atua como lubrificante natural da pele. Quando produzido em excesso, no entanto, pode obstruir o canal de escoamento das glândulas, inflamando-as, o que dá surgimento a cravos e espinhas. "Por vezes, as glândulas bloqueadas infeccionam - o pus e o sebo acumulam-se sob a pele, formando espinhas maiores ou quistos que deixam cicatrizes ou pequenas marcas", acrescenta o dicionário.

Incidência

As lesões da acne surgem na puberdade atingindo face, peito, costas, pescoço e ombros. Na adolescência, acomete ambos os sexos, tendo um maior pico de incidência dos 14 aos 17 anos nas mulheres, e dos 16 aos 19 anos nos homens. Um estudo feito por B. Bloch, com 4.191 crianças e adolescentes de ambos os sexos, representados em igual número, chegou-se à conclusão que 59,6% das meninas e 68,5% dos meninos apresentavam comedões (cravos) ou acne franca.

O aparecimento destas lesões correspondiam com o aparecimento de pêlos pubianos e menstruação. Este estudo comprova a correlação da acne e do período da puberdade. Existe também uma influência genética na evolução da Acne, que pode ser ampliada ou diminuída por fatores raciais e ambientais.

No entanto, na fase adulta, cerca de 1% da população adulta masculina também apresenta acne, ao passo que 5% das mulheres acima dos 25 anos sofrem com o problema. De acordo com o Dr. Jayme de Oliveira Filho, Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, professor adjunto da Faculdade de Medicina de Santo Amaro - UNISA, Mestre pela Escola Paulista de Medicina e Doutor pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, entre os adultos a acne acomete mais as mulheres, "porque muitas vezes pode estar associada a disfunções hormonais, típicas de mulheres desta faixa etária, que tomam anticoncepcionais e outros medicamentos com base em hormônios".

Segundo o Dr. Jayme, também ex-presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia e Conselheiro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica, há casos de acne em adultos sem razões hormonais aparentes. "Embora não haja estatísticas precisas, de acordo com minha experiência clínica, é possível afirmar que cerca de metade das pacientes mulheres que apresentam acne tem causas hormonais".

Em entrevista exclusiva a esta reportagem, o Dr. Jayme explicou que, nos adultos, o estado acneforme é muito semelhante, na aparência, à acne vulgar que atinge os adolescentes, mas com causas distintas. Entre as razões possíveis para o surgimento da doença, existe a reação a alguns tipos de medicamentos. "Os remédios que contém corticóides, por exemplo, podem causar uma reação de acne medicamentosa", define o especialista.

O médico recomenda que se investigue a causa da acne quando ela surge em uma mulher adulta. "É preciso investigar se existe alguma outra razão que esteja induzindo a acne, como por exemplo, a presença de ovários policísticos", alerta. O uso de hormônios para melhorar a libido ou a lubrificação genital também pode induzir o surgimento das afecções. "Tudo que contenha hormônios, seja com base em testosterona, estrógeno ou progesterona, pode causar acne. Fórmulas de vitaminas ricas em complexo B, por exemplo, são outra razão possível para o surgimento da doença", diz o médico. "Se estas razões, mais sérias, estão excluídas, então o tratamento é o similar ao usado no adolescente", conclui.

Tipos de Acne

Existem vários graus de acne. Em alguns casos, as lesões são pequenas e não chegam a incomodar, ao passo que em outros, elas podem ser tão evidentes que perturbam a qualidade de vida e desencadeiam ou agravam problemas emocionais e de auto-estima. Do ponto de vista clínico, ela pode ser classificada em cinco graus diferentes, de acordo com sua gravidade.

No primeiro grau, conhecido como Acne Comedônica, ela caracteriza-se pela presença de comedões, ou cravos. Mesmo que apareçam algumas pápulas e raras pústulas, ainda é possível enquadrar neste grau. Existem três tipos conhecidos de comedões: o microcomedão, o comedão fechado (cravo branco, de lesão esbranquiçada ou da cor da pele, com forma esférica. Espremendo ou perfurando com uma agulha, sai uma massa esbranquiçada), ou o comedão aberto (cravo preto), este último facilmente eliminado, mas que podem sofrer inflamação.

No grau dois, a acne é chamada de Pápulo-Pustulosa, e pode ser reconhecida pela presença de comedões, pápulas eritematosas (avermelhadas) e pústulas. É quadro de intensidade variável, que vai desde as poucas lesões até as numerosas, com intensa inflamação.

O grau seguinte é o Nódulo-Cística, onde existem também os comedões, as pápulas e as pústulas, mas acrescentam-se os nódulos furunculóides, também conhecidos por cistos, formados pela reação inflamatória que atinge a profundidade do folículo até o pêlo, podendo acontecer a formação de pus.

O grau quatro é chamado de Acne Conglobata, uma forma mais grave, onde se soma os nódulos purulentos em grande número, formando abscessos e fístulas. Normalmente, neste grau, a acne atinge face, pescoço, peito, costas, e pode chegar à região glútea.

A fase mais grave da acne, no entanto, é a Acne Fulminans - Grau V, bastante rara e que causa febre, leucocitose (o aumento de células de defesa no sangue), poliartralgia (dor nas articulações). Nela estão associadas todas as formas anteriormente descritas.

Dependendo desta classificação, define-se o tipo de tratamento mais adequado ao paciente, explica o médico Jayme, coordenador científico do site sobre acne, que defende que esta avaliação deve ser feita por um especialista.

Alimentação não Influi

Embora alguns terapeutas indiquem dietas ricas em alimentos naturais integrais e pobre em produtos refinados e oleosos, tais como carne gorda, bolos e doces, de acordo com o Dr. Jayme, a alimentação não tem influência sobre a melhoria ou piora da acne. "Ao menos, não há qualquer prova científica de que haja esta influência, apesar de vários trabalhos já terem sido feitos neste sentido", declara. Cauteloso, o médico lembra que se a pessoa afirma ter certeza de que determinado alimento causa espinhas, é melhor parar de come-lo, ainda que não haja comprovação científica sobre esta relação. O chocolate, sempre considerado vilão das espinhas, é totalmente liberado pelo dermatologista.

O Dicionário de Medicina Natural explica que há terapeutas que receitam que se evite os chocolates e que se substitua o leite integral pelo desnatado, além de prescreverem suplementos vitamínicos com vitamina A e Zinco. "Os legumes devem ser ingeridos crus ou levemente cozidos, pois as temperaturas elevadas destroem muitas vitaminas e enzimas. Os alimentos são grelhados, cozidos no vapor ou assados no forno, em vez de fritos ou refogados", descreve o Dicionário.

Tratamentos

O Dr. Jayme explica que o tratamento depende do diagnóstico a respeito do grau de acne apresentado pelo paciente. "Na gênesis da acne, quando tudo começa, aparecem os cravos. Nesta fase, a limpeza correta da pele, com a retirada completa da maquiagem, o uso de sabonetes sem óleo e adstringentes são medidas úteis", ensina o médico. "Em graus mais avançados, no entanto, é possível utilizar antibióticos para uso tópico, para que combatam as bactérias formadoras da acne.

Depois, existem os cremes que ajudam a retirar o estado inflamatório da acne, dentre os quais destacam-se os baseados em peróxido de benzoíla", relata o dermatologista.

O dermatologista esclarece que para retirar cravos e manchas são também utilizados os cremes de ácido retinóico e os derivados do ácido azeláico. "Por via oral, são ainda utilizados produtos antibióticos que exercem função antibacteriana e ajudam as glândulas a produzirem menos secreção. Tem ainda os retinóicos orais, derivados de vitamina A ácida, cuja finalidade também é reduzir a produção de secreção, mas de forma mais dramática", cita.

De acordo com o médico, os peelings só são indicados para fases posteriores e objetivam a retirada de manchas e cicatrizes. As limpezas de pele, na opinião do Dr. Jayme, só devem ser feitas por esteticistas bem orientadas, e devem visar apenas à retirada dos comedões, usando a técnica manual. "Não se deve mexer em espinhas", alerta, explicando que as tentativas domésticas de extração de espinhas podem resultar em inflamações ainda piores, podendo ocasionar pústulas, irritações e até levar à formação de cistos, que só podem ser retirados por cirurgia.

As máscaras anunciadas pelas esteticistas e pela indústria de beleza também pouco funcionam, na opinião do médico. "Estes produtos não tem competência para extrair cravos mais profundos. Papeizinhos, abrasivos e outros métodos do gênero só são úteis para quem tem cravos muito superficiais e em pequena quantidade", acusa.

Novos e Velhos Medicamentos

Alguns novos medicamentos estão sendo lançados no mercado, visando o tratamento da acne. Entre eles, o Tazaroteno, que será vendido com o nome de Zorac a partir de junho de 2001, no Brasil. Ele é baseado em vitamina A, e ao agir diretamente sobre as glândulas sebáceas, promete controlar a produção exagerada de gordura. Ainda assim, ele é recomendado para os casos mais leves. Na opinião do dermatologista paulistano Jayme, o problema maior deste tipo de medicamento é o seu preço. "O Tazaroteno vem complementar a vasta gama de medicamentos de que já dispomos para o tratamento da acne", avalia.

Existe também a opção da Isotretinoína, conhecida pelo nome comercial Roacutan, também baseada em vitamina A ácida, administrada via oral. A vitamina A ácida é considerada um dos maiores avanços da medicina no tratamento da acne. "Trata-se de um medicamento disponível há cerca de vinte anos, mas de difícil acesso pela população em função do seu alto preço. Um tratamento com Roacutan pode custar cerca de R$ 300,00 mensais", relata o médico.

Além disso, ele alerta para os efeitos colaterais do remédio, que, sendo metabolizado no fígado, exige que se façam exames prévios e, depois de iniciado o tratamento, com freqüência bimestral, para verificar a função hepática durante o uso do medicamento. O Roacutan também provoca o ressecamento da pele e, principalmente dos lábios.

"Dificilmente se receita este remédio para mulheres em idade reprodutiva, pois se for tomado por uma mulher grávida, pode causar efeitos no feto semelhantes aos causados pela Talidomida", alerta o especialista, que aproveita para reforçar a importância do acompanhamento médico antes de qualquer decisão por este ou aquele medicamento. O Roacutan pode causar efeitos tão graves que, antes de administrá-lo, o médico precisa pedir que o paciente assine um termo de responsabilidade. Se for receitá-lo para menores de 21 anos, precisa da autorização dos pais.

Outro medicamento anunciado como útil para eliminar a acne é a Flutamida, mas os seus efeitos colaterais, tais como os gástricos e importantes interações medicamentosas, também recomendam cautela na sua prescrição, afirma o Dr. Jayme. A Flutamida é um medicamento tão forte que chega a ser utilizado no tratamento de alguns tipos de câncer.

Tratamentos Alternativos ou Naturais

De acordo com indicações do Dicionário de Medicina Natural, existem alternativas aos tratamentos tradicionais receitados por médicos e dermatologistas. Manter a pele limpa, lavando-a duas ou três vezes por dia, cuidando para que não fique muito seca; utilizar produtos de limpeza suaves, feitos de ingredientes naturais ou plantas, evitar o uso de maquiagem, entre outras recomendações, são meios de "auto-ajuda" que em nada prejudicam o tratamento medicamentoso.

O Dicionário sugere ainda tônicos caseiros, feitos à base de água de rosas e hamamélis, ou o uso de alho, considerado um antibiótico natural, ou pomada de própolis, como alternativas baratas de tratamento. Calêndula, Camomila, Milefólio, Sabugueiro e Alfazema são outras plantas receitadas, assim como dar banhos de vapor na face, produzido por água em infusão com flores de camomila, limeira, sálvia e alfazema, também são indicados.

Embora haja soluções apresentadas também por técnicas de aromaterapia, florais de Bach e homeopatia, é sempre recomendável que se consulte um médico especialista - no caso da acne, um dermatologista - para saber se estas iniciativas são ou não prejudiciais. Em muitos casos, elas podem ser nada mais nada menos do que inócuas, ou seja, não darem resultado algum.

Copyright © 2003 Bibliomed, Inc.




Artigos relacionados com esse tema:

O Que Causa a Acne?

Acne: Causas e Tratamento

Existem Outros Tratamentos Para a Acne?



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: