Publicidade

Artigos de saúde

Psoríase: Preocupações com a Pele

Neste Artigo:

- O que é?
- Manifestações Clínicas
- Tratamento
- A Cura
- Veja Outros Artigos Relacionados ao Tema

"A psoríase, doença dermatológica que atinge cerca de 2 a 4% da população, ainda é motivo de muitos preconceitos contra seus portadores. Sem causa definida e sem cura, resta aos pacientes tratamentos de controle, ou seja, a cura clínica".

O que é?

A Psoríase é uma doença da pele bastante freqüente que atinge igualmente homens e mulheres, principalmente na faixa etária entre 20 e 40 anos, embora possa ocorrer em qualquer fase da vida. O agente causador da doença, infelizmente, ainda é desconhecido. Contudo, para os médicos, fenômenos emocionais são freqüentemente relacionados com o seu surgimento (e com o agravamento da doença), provavelmente atuando como fatores desencadeantes de uma predisposição genética para a doença.

Os dados indicam que aproximadamente 30% das pessoas que têm Psoríase apresentam história de familiares também acometidos. Especialistas esclarecem, ainda, que não se trata de uma doença contagiosa, logo não há necessidade de se evitar o contato físico com outras pessoas. Muitas vezes, em função do aspecto em que se encontram alguns pacientes, eles podem sentir vergonha, depressão. Logo, especialistas garantem que a informação sobre a Psoríase é uma boa maneira de se evitar o preconceito para com o doente.

O Dr. Hugo Cláudio Weiss, chefe do Serviço de Dermatologia Sanitária do Estado do Rio Grande do Sul e presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia do Rio Grande do Sul, adverte e reforça a tese de que a Psoríase é uma doença comum, não contagiosa, cuja causa não está totalmente definida. Para ele: "Acredita-se ter uma predisposição familiar influenciada por fatores ambientais, podendo ser agravada pelo estresse, cansaço e alguns medicamentos".

O Presidente da Sociedade esclarece que, normalmente, a pele fica avermelhada, levemente espessada e apresenta escamação. A doença ocorre freqüentemente nos joelhos e cotovelos, podendo também afetar o couro cabeludo, unhas, pernas, dorso e, às vezes, todo corpo. Na maioria das pessoas a doença adquire caráter crônico, com períodos de melhora e exacerbação. Médicos relatam que dificilmente ocorre involução espontânea dos sintomas.

Segundo dados da Canadian Psoriasis Foundation, a Psoríase afeta cerca de um milhão de canadenses, ou seja, entre 2% e 4% da população daquele País. Segundo a fundação, um terço dos pacientes possuem histórico familiar da doença. Os médicos pesquisadores canadenses relatam que estudos recentes revelaram que a Psoríase é uma doença auto-imune, apontando para o fato de que ‘o corpo está em guerra com a própria pele’.

Manifestações Clínicas

A doença pode apresentar-se de diversas formas que vão desde manifestações mínimas, com pouquíssimas lesões, até a Psoríase Eritrodérmica, na qual toda a pele está comprometida. A forma mais freqüente de apresentação é a Psoríase em Placas, caracterizada pelo surgimento de lesões avermelhadas e descamativas na pele, bem limitadas e de evolução crônica. As escamas geralmente são mais freqüentes nos cotovelos, joelhos, couro cabeludo e tronco. Médicos explicam que quando as placas regridem, costumam deixar área de pele mais clara no local afetado.

Como foi apontado pelo Dr. Cláudio Weiss, outros especialistas relatam que é bastante comum ocorrer fases de melhoria e de piora da manifestação dos sintomas. Outra característica, chamada de fenômeno de Koebner, caracteriza-se pela formação de lesões lineares em áreas de trauma cutâneo, como arranhões. As lesões de Psoríase, geralmente, não apresentam sintomas, mas pode ocorrer uma leve coceira.

Apresentações menos comuns são a Psoríase ungueal, com lesões apenas nas unhas, a Psoríase Pustulosa, com formação de pústulas principalmente nas palmas das mãos e plantas dos pés e a Artrite Psoriásica que, mais comum nos dedos das mãos, caracteriza-se por inflamação articular que pode causar até a destruição da articulação.

Os médicos explicam que o diagnóstico da doença é geralmente realizado pelo exame clínico, mas pode ser confirmado por uma biópsia.

Tratamento

O tratamento da doença vai depender do quadro clínico apresentado, podendo variar desde a simples aplicação de medicações tópicas nos casos mais brandos até tratamentos mais complexos para os casos mais graves.

Para o Dr. Roberto Barbosa Lima, especialista em Dermatologia pela Associação Médica Brasileira e pela Sociedade Brasileira de Dermatologia: "A resposta ao tratamento também varia muito de um paciente para outro e o componente emocional não deve ser menosprezado. Uma vida saudável, evitando-se o estresse vai colaborar para a melhora. A exposição solar moderada é de grande ajuda e manter a pele bem hidratada também auxilia o tratamento".

Para o Dr. Roberto, não existe uma forma de se acabar definitivamente com a Psoríase, mas é possível se conseguir a remissão total da doença, conseguindo-se o que é chamado de uma cura clínica.

Mais uma vez, de acordo com as palavras do Dr. Hugo Weiss, de Porto Alegre: "Até o momento não existe medicamentos que propiciem cura total, mas a doença pode ser tratada e controlada. O tratamento inclui medicamentos de uso tópico e/ou via oral, além de exposição solar controlada ou fototerapia (lâmpadas que emitem radiações ultravioleta), ou qualquer combinação dos tratamentos acima conforme a gravidade do quadro".

Sobre as alternativas de tratamento, o Dr. João Pupo Nogueira Neto, Chefe do Serviço de Dermatologia do Hospital Celso Pierrô, na cidade de Campinas, relata que o PUVA (Psoraleno - Ultra Violeta "A") é a combinação do efeito inibidor de drogas sobre o mecanismo de reprodução celular da pele com o efeito potencializador da radiação Ultra Violeta "A". Segundo o especialista, a eficácia deste tratamento é de 90%, como aponta o instituto canadense, National Psoriasis Foundation.

Como aponta a Dra. Lúcia Martins, médica dermatologista, também especialista na área: "A Psoríase afeta 1 a 3% da população. Vale lembrar que aproximadamente 80% dos pacientes apresentam formas leves e moderadas de Psoríase que podem ser controladas com tratamentos locais". A doutora aponta que pomadas, loções, xampus, à base de corticosteróides, coaltar, calcipotriol, acitretina e piridionato de zinco, podem ser extremamente úteis e controlar a doença.

Novamente segundo a equipe de pesquisadores canadenses, pesquisas recentes mostraram que remédios placebos, muitas vezes, funcionam com doentes de Psoríase. Sendo assim, os pesquisadores concluem que a atitude positiva pode ajudar ao doente e ao próprio tratamento tradicional.

A Cura

Especialistas apontam para o fato de que, ainda, não há cura para a Psoríase. Contudo os pesquisadores canadenses dizem que há inúmeras agências financiando pesquisas na área, em todo o mundo. Para eles, como há muitos tratamentos possíveis, hoje em dia, ‘deve haver esperança’ para as pessoas que possuem a doença.

Copyright © 2000 eHealth Latin America                 27 de Novembro de 2000


Artigos relacionados com esse tema:

Tratamento da Psoríase é Influenciado Pelo Sexo do Paciente

Qual o Tratamento Para a Artrite Psoriásica?



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: